Welcome Back!

Setembro 7, 2015 in MY HAPPY SELF

Social Media Detox

Bem vindo Setembro …. este mês que eu adoro por ser o mês dos recomeços!

Para mim este ano será um recomeço cheio de energia porque fiz mesmo questão de recarregar todas as minhas “baterias” durante o verão. Por isso tirei também umas longas férias cibernéticas que acompanharam dias de introspeção, de muita arrumação e organização (aqui por casa) , alguns banhos de sol, mergulhos de mar e piscina e alguns maravilhosos pores do sol, como este que aqui publico. Fechei a praia alguns dias. Coisas que não têm preço…

Soube-me bem, descansei a cabeça, mudei o chip e fiz um detox de redes sociais que parece-me ser quase tão importante como os dias que passamos na praia ou no campo. Férias ligados à rede não são férias. Férias pressupõem um tipo de desconexão da realidade que não se compadece com a preocupação de posts e blogs.

Imagino que maior parte de vocês me entenda porque, nos dias de hoje, quem não tem um blog tem certamente uma página de facebook ou uma conta de Instagram onde vai partilhando ideias, fotos e novidades. Também há quem partilhe intimidades, faça desabafos e declarações de amor… A internet passou a ser o palco dos nossos afetos e do nosso estilo de vida mas também, e mais importante, um lugar para expor ideias, projetos e conquistas profissionais. Passámos a ser os nossos próprios “agentes publicitários” e aprendemos a gerir esta exposição em nosso beneficio. Uns publicitam capacidades profissionais, outros vendem produtos, outros vendem-se (literalmente) outros compram (o material exposto). Cada um gere esta exposição da melhor forma que quer e sabe. É o nosso palco, onde muitas vezes somos autores, encenadores e atores. Uns melhores, uns piores (outros péssimos) mas a vida virou isto mesmo… As pessoas acham que conhecem quem seguem na medida da generosidade das suas partilhas. E mesmo quando uma pessoa não partilha mais que algumas fotografias, lemos entre linhas e vamos desenhando uma personalidade baseada nas nossas percepções e na forma como interpretamos determinadas mensagens. As pessoas começam a medir-se por quantidades de likes, comentários e seguidores. Maior parte delas compram a sua “popularidade” que simboliza finalmente o seu lugar ao sol. Depois de anos no anonimato 50 mil seguidores estão à distancia de uns curtos 50€ e um click no teclado dos seus computadores. Sempre ouvir dizer que “tudo tem um preço” e penso que nunca estivemos tão perto desta máxima. Mais interessante ainda é que independentemente de nos expormos ou não, vasculhamos as vidas alheias e normalmente não partilhamos na proporção que procuramos o que os outros publicam. Tenho chegado à conclusão que os que menos publicam muitas vezes são aqueles que mais vasculham (ou que “ratam” como diria a Bu) porque quem não publica simplesmente se protege do seu próprio veneno, que por vezes é impiedoso. Fazemos juizos de valor, rimo-nos, temos vergonha alheia, expomo-nos, gozamos e, no limite, somos gozados. Para quatro pessoas que adoram um post ou uma foto há quatro que despreza e goza. Muito provavelmente haverá outras quatro que se inspiram e outras quatro que não comentam mas que passados dois dias fazem um post semelhante. Inspiramos e somos inspirados. Vemos e somos vistos. Ninguém está livre do ridículo, dos juízos de valor, das criticas. Mas também ninguém está livre dos elogios exagerados e ligeiramente fora de tom com a realidade. Para um “Linda!!!!!!” sabemos que há muitos “Acha-se esta!”. É a vida depois das redes sociais. É a realidade que abraçámos, uns mais renitentes que outros, uns mais cuidadosos que outros mas onde estamos quase todos. É giro? Claro que é. Pode cansar? Imenso!

Como tudo o que é bom torna-se de mais quando abusamos. Um copo de vinho faz bem, 5 fazem estragos. Da mesma maneira que 30 minutos de sol por dia seria a dose ideial de vitaminada D mas horas de exposição solar podem provocar danos irreversíveis. (Quase) tudo se pode fazer se, de vez em quando, soubermos abrandar. As relações precisam de respirar, os amigos precisam do seu espaço, o estômago precisa de tempo para digerir… o ar renova-se mas para isso temos de abrir as janelas e deixa-lo correr. Foi isso que fiz. Uma grande corrente de ar quente de verão por aqui! Espero que não tenham ficado tristes comigo. E as que ficaram espero que depois deste post me entendam. Por isso desta vez não vou pedir desculpa pela ausência. Era importante que acontecesse. Para mim pelo menos. Soube-me bem e volto feliz com vontade de vos contar por onde andei . Por várias vezes tive vontade de vir aqui para vos sugerir um filme ou um livro, para partilhar o meu perfume de verão ou o meu quarto acabado de redecorar. Mas retive-me e hoje tenho a certeza que fiz bem. Tive um santo verão. Espero que o vosso também tenha sido maravilhoso. Bem vindas de volta ao Addicted-to-Style viciadas queridas!!

beijinhos