Uma história sobre o meu pai e uma pedra de gelo

Março 19, 2014 in FAMILY BUSINESS

Estou de volta!

Não fui propriamente de viagem… foi mais um passeio atribulado pelas inquietudes domésticas de uma mãe trabalhadora. O Salvador adoeceu sem poder ir à escola e com noites de 39ºC de febre. Pelo meio, eu, carregada de trabalho e a arrastar-me pelos dias, cheia de reuniões, e a fazer um esforço sobre-humano para que tudo não fosse um constante bocejo. Fim-de-semana atribulado com uma ida a Fátima com a Clarinha. Mais uma endoscopia e colonoscopia que me deixaram paralisada durante 24 horas. Não só por causa do jejum obrigatório mas pela camada de nervos que se apoderou desta medrosa que só de pensar na agulha do cateter quase desmaia. – Paragem cerebral portanto. Mais a Silvinha que lhe dava mesmo jeito ter férias esta semana porque mudou de casa e ainda tudo o que tem de ficar feito antes de uma curta viagem de família que vai ser já… amanha! Ufa… mas não me estou a queixar… Primeiro, o Salvador hoje já se está a sentir bem e já foi à escola, ou seja, menos um problema. Depois, os meus exames correram lindamente. Apesar de só ter os resultados da biopsia daqui a 4 adias, a médica fez questão de me vir dizer que gostou de tudo o que viu …. Se é que é possível gostar de ver entranhas… mas o sorriso na sua cara pareceu-me genuíno! Cada um gosta do que gosta, não é verdade?! Mais?…. gosto muito da Silvinha mas tenho que confessar que adorei a energia de estarmos só os 4 em casa e por fim… como é possível não estar mega feliz nas vésperas de irmos para as nossas férias de neve?! To make a long story short… peço-vos desculpa pela ausência, ainda por cima em véspera de curtas férias, o que me vai deixar longe do blog por mais uns dias, como podem imaginar. Mas eu prometo voltar cheia de energia e histórias para contar. Entretanto, já sabem, podem sempre ir espreitando o meu INSTAGRAM. Prometo ir dando noticias!

Mas antes, queria aqui deixar uma mensagem para o meu pai que, apesar de viver longe, sei que me vai lendo…

Pai,

Hoje lembrei-me das ultimas férias que passámos juntos na terra que nos viu nascer. Aquela nossa passagem do ano, que na verdade foi a passagem de milénio…  em Lourenço de Marques ou Maputo (whatever…). Lembrei-me da viagem para o Biléne, dos escaldões na praia (acho que foram os últimos da minha vida), do mistério das chaves perdidas, das garrafas de Sparleta, dos frangos com piri-piri, das noites sem ar-condicionado… naquele calor africano. Os nossos pequenos almoços com fruta fresca e cereais. Lembrei-me de tanta coisas mas também me lembrei que de manhã nos punhas uma pedra de gelo no leite para ficar mesmo frio… e vê lá tu… que de todas as memórias das férias foi isso que relembrei com mais carinho. As pedras de gelo nos cereais da manhã… prova que o amor está, efetivamente, nas pequenas coisas. E que, com o passar dos anos, muitas vezes, são essas pequenas coisas que nos enchem o coração. Fui rever essas fotografias e fiquei com a minha memória cheia! Hoje, enquanto ia folheando o meu “diário de viagem”  (as coisas que se fazem quando ainda não se tem filhos…) quase que senti o calor na pele… revivi algumas boas gargalhadas e lembrei-me que foi durante essas férias que li Os Maias… um dos livros que mais gostei de ler na vida.

Acho que há 15 anos te devo ter agradecido essas férias, como é óbvio, mas hoje queria voltar a agradecer-te pai. Por tudo e também pelas pedras de gelo! – Feliz dia!!

 

Até ao meu regresso!!

UM GRANDE BEIJINHO PARA TODOS e um especial para os vossos pais! – Já agora, um beijinho, mais especial ainda, para o maravilhoso pai dos meus filhos!!

MARIA