The Lunch Box

Maio 22, 2014 in MOVIES & PLAYS

“SOMETIMES THE WRONG TRAIN TAKES YOU TO THE RIGHT DESTINATION”

A história pode parecer inusitada mas os personagens tornam-na palpável pela forma como entram no nosso coração de uma maneira consistente e nos tocam com as suas emoções. A ação passa-se num tempo breve, dentro de uma cultura diferente, numa realidade distante… mas no fundo, na essência, tudo acaba por ser igual…  Nenhuma mulher gosta de viver sozinha num casamento. Não somos talhados para engolir a indiferença. Todos queremos amar e ser amados. Em qualquer parte do mundo, uma mulher casada quer ser respeitada e desejada. Em qualquer parte de mundo e em qualquer condição, a viuvez, feminina ou masculina pode ser uma parede no fluxo dos nossos afetos.  Por outro lado também pode ser uma libertação. O rótulo de “reformado” pode significar o princípio do fim. Um abismo difícil de encarar, ou não… pode ser o principio de uma vida vivida sem a corrente da rotina. Em qualquer parte do mundo duas pessoas podem apaixonar-se vindas do abandono afetivo. Em qualquer parte do mundo duas pessoas podem juntar-se pelo prazer de comer… e neste filme come-se muito. Tanto quanto se cozinha…

Esta história passa-se em Bombaim. Ila (Nimrat Kaur) uma mulher mal casada com 30 anos e Saajan (Irrfan Khan) um viúvo amargo e solitário a dias da reforma, encontram-se de uma forma insólita e inesperada. Uma improbabilidade do destino faz com que as suas vidas se cruzem por frases escritas em bilhetes guardados numa marmita de lata que se perde num sistema, supostamente infalível, de entrega de lancheiras – o centenário Dabbawala.

Não vos vou contar mais nada mas não deixem de ir ver A Lancheira! E não se esqueçam.. Por vezes o comboio errado pode levar-nos para o destino certo!

BEIJINHOS E BOM FIM-DE-SEMANA!

MARIA