A Lei (básica) da Selva

Janeiro 20, 2015 in FAMILY BUSINESS

jogo do galo

Dia 25 de Dezembro de 2014. O nosso dia de Natal no Rio. 35ºC na praia do Pêpe. Eu e a Clarinha encolhidas debaixo de uma sombra piedosa… jogávamos ao Galo.

Ao longo dos anos já passámos algumas fases no Jogo do Galo …

1 – eu fingia que não percebia nada daquilo e a Bu ganhava e ganhava e ganhava.

2 – eu comecei a perceber que já não era preciso fingir para a Bu ganhar.

3 – eu passei a ter alguma dificuldade em ganhar , facto que me irritava ligeiramente…

Naquele dia, passei para a fase…

4 – Esquece lá isso, que hoje quem limpa isto sou eu!

Ao fim de 7 jogos consecutivos a perder, a Bu…

– Mãe, e que tal perder um joguinho para a sua filha ganhar??

– Jogo é jogo Bu!

– Mãe… até os animais sabem que devem encorajar as suas crias. É uma lei básica da selva…

– Como assim?

– Quando os leões bebés mordiscam os pais, eles fingem que se magoam para instigar as crias a atacar para se conseguirem defender de possíveis agressores, estimulando assim a sua auto-estima. Básico mãe!

E assim acabou a nossa sessão de Galo… comigo a constatar que estou a criar uma “chica-esperta”! Nada mal…

Jogo do Galo

Uma lição sobre Felicidade

Janeiro 5, 2015 in FAMILY BUSINESS

Happiness

Adoro esta citação de John Lennon. Quem leu a minha Casa Feliz sabe que fiz questão que começasse assim… Acho que resume o conceito de felicidade de uma forma extraordinária. A imagem ingénua e pura de uma criança para quem felicidade é ainda um projeto de vida… E a evidencia que a vida nos faz, por vezes, esquecer 0 principio básico de uma vida feliz.

Isto para vos contar que nestas nossas mini-férias no Rio de Janeiro um dia eu e a Clarinha fomos a uma feirinha. Eram 10 da manhã e os termômetros deviam já marcar mais de 30ºC. A Clarinha queria muito comprar uma canga e uma fita do Bonfim. Dois desejos fáceis de satisfazer numa feira hippie no Brasil. Assunto tratado, rumámos à praia que o calor apertava e eu estava mais virada para banhos de sol e mar que para cangalhada hippie e artesanato local.

A senhora que vendeu a fitinha fez questão de explicar o procedimento dos desejos. Nunca é demais reforçar que são 3 desejos, um por cada nó. E que a fita deverá permanecer no pulso, intocada, até que a vida e o desgaste a quebrem.

Ao final do dia, quando fomos colocar a fita confesso que estava curiosa para ouvir os 3 desejos da Bu…

1- Ser Feliz… Achei querido

2- Ser Feliz… Achei assim meio repetição mas pronto… não disse nada

3- Ser Feliz… A sério Bu? Então não me tinhas dito que gostavas de voltar à Disney World? Não te lembras de mais nada?

– Mãe… ser feliz engloba tudo! Sei que se for feliz, vou fazer o que quero, ter o que quero, vou estar bem, vocês vão estar bem… todas essas coisas boas e importantes da vida fazem parte da minha felicidade!

Obrigada minha boneca, por mais esta lição de vida. Porque nós adultos… às vezes até achamos que sabemos algumas coisas, até temos algumas teorias mas também as esquecemos à menor distração. Por isso obrigada por me apontares mais uma vez a tua luz na direção certa! Na meia noite da passagem de ano, foram estas tuas palavras que ecoaram na minha cabeça… Ser Feliz, Ser Feliz, Ser Feliz….

beijinhos

Hoje é dia de festa…

Agosto 2, 2014 in FAMILY BUSINESS

clarinha

Hoje, a minha boneca faz 10 anos. Por isso o meu coração está em festa! – Faz hoje 10 anos que fui para a maternidade sem saber que, no mesmo dia, me ia apaixonar absoluta e irremediavelmente e que a minha vida iria mudar, mais uma vez, para sempre. Imagino que cada filho mude a nossa vida para sempre… só tive dois, mas foram duas grandes reviravoltas!

Quando engravidei da Clarinha às vezes sentia uma angustia…  não conseguia imaginar vir a gostar tanto daquele bebe com a mesma intensidade com que adorava Salvador. Para combater as dúvidas, repetia na minha cabeça alguns “clichés”, daqueles que nos vão sendo passados pelas mulheres experientes das nossas vidas… O amor não se divide, multiplica-se. As mães gostam de todos os seus filhos de maneira igual. O amor de mãe é incondicional… Seria mesmo assim, ou as minhas dúvidas poderiam ter algum fundamento?… Ficava, às vezes, perdida nos meus pensamentos enquanto observava o Salvador a dormir – “Como é que isto vai ser possível? Só eu é que sei o que sinto por este boneco… Este amor não se vai repetir… ” Era quase uma certeza da improbabilidade da tal multiplicação.

Depois um dia, mais precisamente, no dia 2 de Agosto de 2004, a Clarinha chegou. E o universo uniu-se para me provar mais uma das magias da vida. O amor que senti pela Clara foi mais imediato do que qualquer outro amor. Foi em tudo diferente. Foi uma coisa que eu nunca tinha sentido na vida… um amor à primeira vista! Absoluto e avassalador. Parece que foi uma lição que a vida me quis dar… Tiveste dúvidas?! Ora aqui tens! – Aquele momento acabaria por definir a nossa relação até hoje. A vida não só limpou todas as minhas angustias e inseguranças em relação à minha segunda maternidade como me deu uma relação, que até hoje e passados 10 anos, tem sido de pura Felicidade!

Hoje, sei que se tivesse outro filho, o problema do amor não se colocaria. Mas tenho quase a certeza que seria um amor diferente! O amor de mãe, multiplica-se efetivamente, mas não da mesma maneira. Os filhos são diferentes, a química é diferente… e não há dois amores iguais!

Parabéns boneca linda do meu coração! Obrigada por seres uma peça tão decisiva e importante na felicidade da nossa família.

Hoje o meu beijinho muito especial vai para estes dois absolutos e incondicionais amores da minha vida. A Clara e o seu pai. O meu Príncipe que também faz anos hoje anos e que, há 10 anos,  a recebeu nos braços como o melhor presente de aniversário que algum dia sonhou ter! [AQUI] Parabéns!

MARIA

 

MB Home Office – Before and After

Fevereiro 25, 2014 in MY DESIGNS, MY WORLD OF INTERIORS

Depois do post de ontem, achei que podia ter graça mostrar-vos um bocadinho como era esta casinha antes de lhe ter “posto as minha mãos em cima”. Confesso que não me lembrei de fazer um verdadeiro levantamento de como era antes  e as poucas fotos que tenho são quase todas do “durante” para ser mais precisa. – No inicio a casa estava tão “podre” que eu nem quis estar lá dentro mais de 2 minutos para não ficar com um mau fibe. Assim, quando a visitei pela primeira vez já estavam as obras em andamento e a maior parte do entulho inicial já tinha sido retirado do interior da casa. Isto para vos dizer que estas fotos a que chamo “Before” são na verdade do “in between” ou seja do “durante”  e quase todas tiradas pela Clarinha. – Obrigada Boneca! – Se não tivesses sido tu e a tua vontade de tirar fotos , neste momento não teria estas imagens de referencia!

Esta porta estava a cair de velha mas era uma das características que eu mais gostei na casa pelo achei que era mesmo uma obrigação mandar fazer uma réplica da original que, infelizmente, teve que ir para o lixo porque não estava em condições de ser recuperada. A pedra das aduelas foi mantida. Apenas limpa. As paredes exteriores, depois de todas picadas e rebocadas, foram pintadas em dois tons de cinzento, tentando manter, o mais possível, as características originais da casa.

O andar superior da casa, onde hoje está o show-room em “open space”, era um rendilhado de sete assoalhadas mais uma casa de banho e uma cozinha. Esta foto do “durante” tem alguma graça por se perceber exatamente isso… um patch-work de diferentes cores a relembrar como a casa era antes de termos demolido todas as paredes e tecto. E por falar em teto, este nosso maravilhoso teto e vigas foram desenhados por nós e belissimamente executados pela nossa carpintaria. Ficou Lindo!! – Exatamente como eu o imaginei!! – O chão original foi mantido, por incrível que pareça. Acho mesmo que foi a única coisa original que sobrou desta casa. Foi todo pintado de branco para esconder irregularidades e remendos mas eu adoro o ar meio “shabby” com que ficou. Só dá um bocadinho de trabalho para manter limpo. Chão branco… já se sabe! Mas eu adoro!!

Nesta perspetiva oposta  vê-se a entrada principal, as janelas e as portadas brancas que foram feitas como réplicas das originais e que fiz questão de manter. Vê-se também um dos biombos fixos que dividem as areas do show-room. Apesar de ser um “open space”, as duas areas ganharam alguma autonomia com este elemento. De um lado temos o espaço “loja” onde temos os tecidos e papeis de parede em exposição e do outro lado temos uma zona de estar, onde nos podemos sentar e ter uma reunião mas que, ao mesmo tempo, serve de exposição, uma vez que todas as peças no nosso show-room são para venda.

A casa, apesar de ter 2 andares não tinha originalmente uma escada que os interligasse. Foi mais uma grande obra que tivemos de fazer, mas que, para a a nossa dinâmica de trabalho faz todo o sentido. O escritório e armazém estão no piso inferior que tem ligação direta para o jardim. Nesta imagem podem ver que fui eu quem tirou uma fotografia à “fotógrafa”. Ainda bem que o fiz. Que bom rever esta cara de boneca pequenina. Com a sua fardinha do Colégio Amor de Deus, sempre com um sorriso e vontade de participar em tudo. – Muito provavelmente nesse dia fui busca-la à escola e, de passagem, parámos as duas na obra para uma  pequena “inspeção”. – Na foto do “Depois” já podem ver a nova guarda de escada que desenhámos e que, tal como o teto, foi belissimamente executada pela nossa carpintaria. O chão das escadas, tal como parte do piso inferior foi revestido com uma tinta epoxi. Aqui, tenho que confessar que foi uma escolha pouco acertada. Mas lá que fica lindo e que é hiper fotogênico… lá isso é!

O piso inferior, era, uma autêntica catacumba, como podem perceber por esta foto. Não era uma casa, mas sim uma especie de arrecadação. Não tinha cozinha nem casa de banho por isso essas infra-estruturas foram feitas do zero. – Respondendo a uma leitora que ontem perguntava se os azulejos eram originais… Não, Francisca, nada é original. – O revestimento do chão da cozinha e casa de banho é mosaico hidráulico e os azulejos da parede são marroquinos. Ambos mandados fazer por encomenda para esta obra. – Hoje em dia , apesar de não ter tanta luz como o piso superior, mesmo assim é um espaço leve e alegre. Têm luz suficiente e no verão até chega a ter de mais. Tivemos de mandar instalar toldos em todas as janelas e portas da fachada das traseiras porque a luz chega a ser excessiva… Acabou por ser a melhor forma que arranjei de a controlar sem ter que recorrer a estores ou cortinas, que era uma coisa que não me apetecia ter num espaço de trabalho.

A pequena cozinha equipada com moveis SGW –RATIONAL funciona muitas vezes como sala de convivo ou sala para reuniões mais informais. É onde nos sentamos a beber um café e a pôr a conversa em dia. Muitas vezes também almoçamos aqui, uma vez que está completamente equipada para servir refeições ligeiras. É um dos meus espaços preferidos de toda casa!

Espero que tenham gostado desta visita guiada a este espaço, que é o meu verdadeiro, “World of Interiors”.

BEIJINHOS,

MARIA

In English

After my yesterday post, I though it would make cense to show you just a little of what this cute house looked like before I put my hands on it. I must confesse I never intended to take proper “before” pictures, and the ones I did get are mostly “in betweens” to be more accurate. When we first bought it, it was in such bad shape that I didn’t even want to go in. The first day I did go inside the construction work had started already. So all the pictures that you will see today are from that time, when the house was under construction and most of them were taken by Clarinha. Thank you sweet hart! If it wasn’t for you, today I wouldn’t have the pictures to make this post!

1. This door was so old that we couldn’t use it but I was positive it was one of my favourite features from the original house. So we had a replica made, as the original one had to be thrown away. The window and door stones were kept and cleaned. The outside walls were fixed and painted in two different shades of grey.

2. The upper floor, where today is the show-room, you can see from this picture that it was a seven room tiny house, with one bathroom and one kitchen. This “before” picture shows exactly that and you can see from the different colours on the walls how small all the rooms were. – You can also see that we demolished the previous ceiling and designed a new one that was extremely well executed by our wood workshop. The original floors were kept and painted white. It’s not the greatest to be kept clean but I just love it’s shabby feel!

3. From this prespective you can see the main entrance and the windows with their original wodden shutters. That was another feature that I made sure we would keep. So we had replicas made, the same way we did with the entrance door. You can also see one of the two wooden white screens that divide the open space into show-room space and living area.

4. Even tough the house had two floors all along, it didn’t have a stair to connect those two floors and we had to add that as I thought it was crucial to the good dynamic of our work. The office and the wearhouse are on the lower floor that connects directly to the garden. This picture was taken by me. It was my turn to photograph the photographer! – So glad I did it! – Love to look back at here baby face, so cute, with her school uniform. I probably had picked her up from school and we just stopped by at the house for a quick check-up. She always liked to help out. – In the After picture you can see the new stair raile and the wooden balcony. the steps have an epoxy paint that gives it that shinny finnish but I have to admit that it was not the best choice as pretty as it might look it’s not practical to keep clean.

5. The lower floor was an authentic vault, as you can see by this photo. It was not a house but a kind of a basement. It had no kitchen or bathroom so that infrastructure had to be made from scratch. – Answering a reader who wondered yesterday if the tiles were original … No, Francisca! – The floor covering in the kitchen and bathroom is terrazzo tiles and the wall tiles are Moroccan. Both were made to order for this particular project. – Nowadays, despite not having as much light as the upper floor, it’s still a light and cheerful space. It has enough light in the summer and even gets to sunny… We had to install awnings on all windows and doors on that back fassade of the house to controle the light … as blinds or curtains, it was something I felt like I didn’t want to have in a work place.

6. The small kitchen is furnished with SGW-RATIONAL cabinets and often serves as a more informal room for meetings. It’s where we seat to drink a coffee and catch up. We often also have lunch here, since it is fully equipped to serve light meals. It is one of my favourite places in the entire house!

Well, hope you have liked this personalised tour to our working space here in sunny Cascais. This is truly my “world of Interiors”.

XOXO,

MARIA

#TBT – Clarinha and her Mafalda Moment

Fevereiro 6, 2014 in #TBT

Um dia a minha mãe deu-me um livro da Mafalda e eu, que não era de perder horas a ler, agarrei-me àquelas tiras de banda desenhada como se não houve amanha. Devia ter 10 anos e adotei imediatamente, como minha heroína, aquela menina perspicaz e acutilante… Depois de muitos anos a ler a Mônica, a Mafalda foi a evolução lógica em termos de conteúdo numa fase de crescimento.  Acho que aprendi muitas coisas com a Mafalda… Ela preocupava-se com o mundo de uma forma com que eu me conseguia relacionar. E foi através da Mafalda que comecei a fazer perguntas sobre tantos assuntos politicos que marcaram a decada de 60… Se calhar também foi por cauda da Mafalda que comecei a ouvir Beatles… ou a refilar com a sopa… Nem sei! – Mas tenho a certeza que, numa faze de crescimento, ler a Mafalda foi uma forma simples mas inteligente de me abrir a cabeça e expandir o meu raio de visão.

Foi por isso que, no outro dia, apresentei a Mafalda à Clarinha. Foi amor à primera vista. Depois de horas na internet a saltar de tira em tira (muitas delas em espanhol) a Clarinha pediu-me um livro da Mafalda! – E nessa altura eu só me lembrei daquela imagem imortalizada da Mafalda de Quino perto de um Globo terrestre. Umas vezes a brincar com o globo, outras vezes a dar-lhe festinhas, a consola-lo, a pô-lo de castigo, a fazer-lhe curativos… Cada reação sua àquele globo, simbolizava a maneira como ela via o mundo em geral num determinado momento…

A proposito da Mafalda, do Mundo e da Clarinha…. hoje o #tbt é de uma momento mágico em que a Clarinha, acabada de fazer 3 anos, olhou (muito provavelmente pela primeira vez) para aquele “mundo” a rodopiar com a força do ar e se encantou  pelo movimento e pela cor da mesma maneira que hoje, com 9 anos, se rendeu ao humor implacável do Quino perfonificado por aquela menina de 6 anos carregada de graça e razão. Uma menina chamada Mafalda que, apesar dos seus 50 anos de existência, continua a cativar as crianças de hoje, da mesma maneira que nos cativou a nós…  há muitos anos atrás!

Quem ficou com nostalgia e vontade de “lamber” um livrinho inteiro da Mafalda??? EU!!!

BEIJINHOS,

MARIA

Esta foto foi tirada no verão de 2007 em Boston – no museu da Ciencia. Um lugar que recomendo vivamente, caso, por qualquer coincidência do destino, estejam a planear uma viajem com crianças para aquelas bandas.

 

In English

One day my mother gave me a Mafalda cartoon book and and I just countn’t stop reading it… I just stuck to those comics as there was no tomorrow . I was probably 10 and I immediately took  that insightful and humourous  girl as my hero … After many years reading Mônica , Mafalda was the logical evolution as I was getting older and a little smarter. I have learned so many things from little Mafalda … She cared about the world in a way that I could relate. After readding Mafalda I started asking questions about many political issues from the 60’s … and it also could have been because of Mafalda that I started listening to the Beatles … or cranking about the soup … I don’t know… – But I’m sure that in that moment in time, readding Mafalda was a simple but clever way to open my mind and change the way I perceived the world.

That’s why , the other day I introduced Clarinha to Mafalda . It was love at first sight . After hours on the internet going from Strip to Strip ( many of them in Spanish) Clarinha asked if she could have a proper Mafalda book ! – And then that immortalised image by Quino of a small Mafalda near a world-Globe just came to my mind . Sometimes she was just playing with it , other times she was petting it , loving it , grounding it … Each reaction to that globe, symbolized the way she saw the world in general at a given time …

So, speaking about Mafalda , the World in general and Clarinha …. this week´s #tbt is from a magical moment when Clarinha , when she had just turned three, looked (most likely for the first time) for that rounded shaped “world ” that spined in the air and was enchanted by it´s movement and color the same way that today , as a 9 year old , she surrendered to the relentless Qiuno’s humor personified by that smart and weaty 6 year old girl. A girl named Mafalda that despite her 50 years of existence , continues to captivate today’s children , just as she captivated to us … many years ago !

Who got nostalgic and could read an entire Mafalda book right now?! I DID!

XOXO,

MARIA

This picture is from the summer of 2007. Taken at the Boston Science Museum. A place, I highly recommend you take your kids if you ever happen to be in the Boston area.

FAITH…

Junho 5, 2013 in FAMILY BUSINESS

“IT DOES NOT MAKE THINGS EASY, IT MAKES THEM POSSIBLE”

                                                                                                        Luke 1:37

Há dias que ficam para sempre na nossa memória. O dia em que a Clarinha fez a primeira comunhão, será um deles. A Primavera abençoou-nos com um dia de sol e calor, como ainda não tínhamos tido este ano. Sem querer ser  mal agradecida, até posso dizer que se tivesse sido um bocadinho menos, não tinha feito mal… não corria uma brisa no nosso Alpendre e não faltaram comentários sobre o escesso de calor (se é que isso existe!). Mas a Clarinha estava linda com a sua saia de tutu rosa  pálido e a sua grinalda de flores rosa. Eu fiz questão de me vestir a condizer com ela e com toda a decoração da mesa que estava em modo Marie Antoinette versão moderna.

Festejámos com um almoço muito restrito para a família mesmo muito chegada. Avós, tios e padrinhos da Clarinha. Faltou a avó Marika que apesar de estar longe esteve sempre connosco em espirito e Skype, está claro! Não faltaram gargalhadas, boas conversas, brincadeiras e muitas iguarias. A avó Pepa trouxe o bolo preferido da Clarinha, um maravilhoso pão de ló de chocolate que deixou todos rendidos e a prima Lala fez os bolos preferidos da mãe da Clarinha (moi meme!) – uns maravilhosos Lala Cakes de caramelo com creme de chocolate branco enfeitados com morangos… um sonho!

Houve gelado de morango, mouse de lima e o lindo bolo da primeira comunhão… que quase sucumbio com o calor mas lá se foi aguentando (qual torre de pizza) até à hora de ser cortado pela Clarinha. Um delicioso bolo de chocolate com recheio de leite condensado (cor-de-rosa), um amor…

O cartão que oferecemos aos nossos convidados e amigos da Clarinha tinha um frase que encontrei no Pinterest (what else?!) de Lucas e que nos encantou às duas…

“A FÉ NÃO TORNA AS COISAS FACEIS, TORNA-AS POSSÍVEIS!”

 Assim ficou e na hora de cortar e de repartir o bolo não puder deixar de dizer o que me ia na alma sobre fé e outras coisas…

Tanto eu como o Rui temos uma maneira muito pouco ortodoxa de encarar a religião e todos os assuntos relacionados. Tive uma educação católica e fui praticante durante toda a minha infância e adolescência. Guardo as melhores memórias de toda essa vivência e do meu crescimento espiritual. Hoje, continuo a acreditar na fé e no amor. Acredito que o amor que sentimos uns pelos outros é a base de uma existência feliz. Amar e sermos amados, termos fé em nós e naqueles que amamos é o principio básico da felicidade. Acredito que o que damos ao outros e ao mundo é aquilo que os outros e o mundo nos dão a nós. Discordo de um monte de coisas que a igreja católica insiste em praticar, nem vale a pena começar aqui a falar dos quês e porquês do meu distanciamento da igreja. Na verdade não sou adepta de nenhuma outra religião em particular mas acredito na forma como  a mensagem chega à cabeça de uma menina de 8 anos. Eu já fui essa menina e sei como me soube bem passar pela cerimonia da primeira comunhão e todas as outras que se seguiram como a profissão de fé e o crisma. São dias em que sentimos o amor entrar no nosso coração porque o nosso coração está completamente preparado e disposto a receber a luz e o amor.

E foi esse amor e essa fé que estiveram connosco durante a cerimonia, almoço e convívio. Foi um dia que ficará para sempre no meu coração e tenho a certeza que ficará também nos corações daqueles que partilharam connosco este grande amor e alegria com que tentamos viver todos os momentos importantes das nossas vidas.

Um especial obrigada à minha boneca por ser este motor de felicidade e boa disposição e por nos ajudar a tornar cada momento tão especial!

INSTA-MOMENT

Quem tinha acertado que a Clarinha ia escolher o Kit Princesa Bailarina? Não era o mais evidente, pois não?! Mas posso garantir-vos que estava uma boneca e juro que não estou a ser tendenciosa… só um bocadinho, vá lá! : )

Espero que tenham gostado do post! – Quem ficou com àgua na boca por um Lala Cake siga este link – Lala Cakes – e preparece-se para uma experiencia verdadeiramente transcendental!

UM BEIJINHO,

MARIA

In English

Some days will always be cherished in our memory. The day Clarinha made her first communion, will be one of them. Spring  blessed us with a warm day of sunshine like no other this year. I don’t want to be ungrateful but it would be ok if it was a little less heat … there wasn’t a breeze in our porch and there were many comments about the unexpected and extreme heat (if such a thing exists!?). But Clarinha looked beautiful with her pale pink tutu skirt and a garland with pink flowers. I made sure I dressed to match her pinkness and the table decor that was a modern version of Marie Antoinette’s feasts.

The event was celebrated with a lunch to very close family members… Clarinha’s grandparents, uncles and godparents only. All but grandmother Marika who despite being away was always with us in spirit and via Skype, of course! It was all about laughter, good talks and some great food. Grandmother Pepa brought Clarinha’s favorite cake, a wonderful chocolate sponge cake that left every guest wanting more, and cousin Lala made Clarinha’s mom favorite cakes (moi meme!) – wonderful caramel Lala Cakes with white chocolate cream adorned with strawberries … a dream!

There was strawberry ice cream, lime mouse and the beautiful first communion cake … that almost succumbed to the heat but it was hanging in there (like a pizza tower) until it was time for Clarinha to cut it and distribute it by all the guests. A delicious chocolate cake stuffed with sweetened condensed milk (color pink), really sweet…

The little cards Clarinha gave away to family and friends had written a quote that we  found on Pinterest (what else?!) by Luke

“FAITH – IT DOES NOT MAKE THINGS EASY, IT MAKES THEM POSSIBLE”

So when the time to cut the cake came I couldn’t go without saying some worlds about faith and the way we approach it in our home…

Both Rui and I have a very unorthodox way of looking at religion and all related issues. I had a Catholic upbringing and was practicing throughout my childhood and adolescence. I keep the best memories of all this experience and my spiritual growth. Today, I continue to believe in faith and love. I believe that the love we feel for each other is the foundation of a happy existence. To love and be loved, to have faith in ourselves and those we love is the basic principle of happiness. I believe that what we give to others and the world is what others and the world give us back. I disagree with a lot of things that the Catholic church insists on practicing, not worth starting here talking about the whys and wherefores of my departure from the church. Actually I am not adept of any other particular religion but I believe in the way the message reaches the hart of a 8 year old girl. I’ve been that girl and I know how I felt good going through the ceremony of First Communion and all the others that followed as the Confirmation. Special days when we feel love enter our hearts because our hearts are fully prepared and ready to receive the light and the love.

And it was this love and faith that were with us during the ceremony, lunch and first communion’s party. It was a day that will be forever in my heart and I’m sure it will be also in the hearts of those who shared this great love and joy which we try to live all the important moments of our lives.

A special thanks to my doll because she is the happiness and cheerfulness engine that helps us make every moment so special!

Who had hit that Clarinha would choose the Princess Ballerina Kit? It was not the most obvious, was it?! But I can assure you that she looked like a doll and I swear I’m not being biased … just a little…! 🙂

I hope you enjoyed the post! – Whom ever got  the cravings for Lala Cakes just follow this link – Lala Cakes – and get prepared for a truly transcendental experience!

XOXO,

MARIA

First Communion and what to wear… A big deal!

Maio 27, 2013 in FAMILY BUSINESS

Imagino que não seja a única mãe que tenha andado com este pequeno dilema… Quem mais anda às voltas com a escolha do vestido para a Primeira Comunhão?! – Eu sou muito pouco convencional nos meus gostos, tenho que admitir…  Não adoro aquele género “noiva em ponto pequeno” que é tão popular entre as primeiras “comungantes”…

Quando há um mês, iniciámos este processo de começar a pensar em vestidos, eu comecei por me arrepender de não ter comprado um em Ibiza, quando lá estive no ano passado. Compro sempre uns vestidinhos de praia para a Clarinha mas poderia bem ter comprado um que ela pudesse usar na primeira comunhão… Eles têm os vestidos brancos mais giros e despretensiosos que conheço.  A Clarinha, por seu lado, achou que podia dar largas à sua imaginação e desenhou um modelo de vestido com um decote assimétrico, muitos folhos e um laço à cintura.

Durante duas semanas pairou no ar a possibilidade de comprar tecido e procurar uma costureira para executar o “modelo exclusivo” by Clara Hipólito, mas confesso que tudo me pareceu complicado e ligeiramente arriscado. Os dias foram passando…

Na semana passada quando fui a Paris (por um breve dia) levei comigo a incumbência de trazer o vestido mais lindo em que os meus olhos pousassem o olhar mas o tempo enganou-me e acabei por não conseguir entrar numa única loja… enfim, uma noticia que não foi fácil de dar no meu regresso quando cheguei de mãos a abanar… : ( – Estávamos a 15 dias da primeira comunhão e não tínhamos vestido!!! A Clarinnha começou a dar mostras de alguma preocupação… não muita, só alguma. Ela sabe que eu sou a mãe que “desenterra” máscaras de Carnaval no dia antes da festa da escola. Trabalho melhor sobre pressão, portanto… : )

Enfim, decidimos então que nesse sábado iriamos as duas dar uma volta por Lisboa e arredores na busca do vestido perfeito. Estávamos confiantes que nos safávamos!  – Antes de sair de casa, peguei no computador e por mero descargo de consciência, comecei a fazer uma breve busca nos sites mais óbvios como Zara Kids e Maximo Dutti… de repente a Clarinha estava sentada ao meu lado e começamos a achar graça à nossa ciber-busca! Fomos indo de uns sites para outros e  passada uma hora o assunto estava resolvido e a compra fechada… Sem sair de casa, sem gastar gasolina e sem multas da Emel…. duas raparigas muito práticas!

De todas as peças que fomos gostando (umas mais eu, outras mais a Clara) conseguimos fazer 3 “kits” em consenso. No final a Clarinha escolheu aquele que lhe enchia as medidas e assim foi! Fez-se a sua vontade!

WHITE PRINCESS

1. Top em malha de algodão da Repetto – 74€

2. Saia de tule da Repetto – 69€

3. Sabrinas de verniz branco da Iya – 80€

 

PRINCESS BALLERINA

1.Top em malha de algodão da Repetto – 74€

2. Saia de tule da Repetto – 74€

3. Sabrinas nude da Massimo Dutti – 39,95€

MODERN PRINCESS

1. Blazer riscas cor-de-rosa pálido da Bonpoint – 170€

2. T-shirt da Bonpoint – 58€

3. Saia de linho branca da Massimo Dutti – 29,95€

4. Tenis de lona rosa da Bensimon – 28€

 

Será que alguém adivinha qual dos três kits ela escolheu?…. talvez não tenha sido o mais obvio… E qual dos 3 é o vosso preferido?

Prometo que vos mostro uma foto da princesa no importante dia da sua Primeira Comunhão que será já no dia 2 de Junho.

Espero que tenham gostado deste post e que, de alguma forma, possa ter sido informativo e inspiracional.

UM BEIJINHO,

MARIA

In English

I am sure I am not the only mother having this dress dilemma … What will our dolls dress for their first communion?! – I am very unconventional in my choices, I must confess! Do don’t love that kind “small scale bride” that is so popular among the first “communiants” …

When a month ago, we started this process of thinking about dresses for the First Communion, I started to regret not having bought  a white Ibiza dress when I was there last year. They make the nicest and less pretentious white dresses that I know. Meanwhile, Clarinha thought she could give free rein to her imagination and designed a dress with an asymmetrical neckline, a lot of frills and a bow at the waist.

For two weeks we though I could go and buy fabric and look up for a seamstress to make this “exclusive design” by Clara Hipólito, but I confess that everything seemed complicated and somewhat risky. The days passed …

Last week when I went to Paris (for a brief day) I went with the task of bringing the most beautiful dress I laid my eyes on, but in fact I didn’t have time to go in a single store … I must admit this news weren’t easy to give when I finally got home empty-handed … : ( We were 15 days away from the ceremony and we still didn’t have the dress!! Clarinnha began to show signs of some concern … not much, just some… She knows I am the mother who “digs” Carnival masks the day before the school party. I perform my best under pressure… : )

Anyway, we decided that last Saturday we would both take a walk through Lisbon in the search of the perfect dress. We were confident that we would get by! – Before leaving the house, I sat on my computer  and started doing a brief search in the most obvious sites like Maximo Dutti and Zara Kids … Clarinha suddenly sat beside me and we started our search to catch the perfect internet find! We were going from one site to another and after one hour the matter was solved! Without leaving home without wasting gasoline and no tickets from Emel …. we found the dress. So practical!

Of all the pieces that we liked (I liked some, Clara liked others) we came up with 3 different kits. At the end Clarinha chose the one that she truly loved… and her wish was made!

Which one do you think she picked? Maybe not the more obvious… Which one is your favorite?

I promisse I will show a picture of my princess on the day of her First Comunion. Will she go as the White, Ballerina or Modern Princess??

I hope that you’ve enjoyed this post and that it’s been, somehow, informative and inspiring!

XOXO,

MARIA

A hart full of LOVE

Fevereiro 14, 2013 in FAMILY BUSINESS

A minha Bu já nasceu apaixonada pela vida! – Vive sempre tudo com tanta intensidade, com tanta alegria…. é mesmo uma inspiração! – Este ano, pala além de ter escrito vários postais de St Valentim para colocar no marco do correio da escola, fez um cartão gigante, que não deu a ninguém. Trouxe-o da escola e quando lhe perguntei para quem era… disse-me que não era para ninguém em especial! Acho que deve ser para um príncipe encantado que ainda está para vir! – Quando esse dia chegar ela estará preparada! Ora vejam o que escreveu…

 

Marco do Correio @ Colégio Amor de Deus

Postal de S. Valentim by Clarinha

Poema de S. Valentim by Clarinha

 

“Quando te vejo o meu coração pára, pois com tanto amor, nada nos separa!

E se me quiseres abraçar, nada me vai impedir de te deixar!

Quando te beijo é sinal que nunca te deixo!

O teu olhar é a unica coisa que me faz amar!

Podes escapar mas não te vais safar de um beijo do meu olhar!”

 

Digam lá que não ficaram com vontade de pegar na caneta e escrever um cartão apaixonado?? – Não percam tempo! – As cartas de amor podem ser ridículas mas nada sabe tão bem como receber um postal apaixonado!

Feliz dia de St Valentim para todos!

 

My Bu was born in love with life! – She lives every moment with such intensity, with such joy …. it is an inspiration! – This year, she wrote several Valentine cards to put in her school’s mail box and she also made a giant card that didn’ go to anyone. When I asked her who was it for… she told me it was for no one! _ I think it would probably  be for a prince charming that is yet to come! – When that day comes she’ll be prepared! Now check out what she wrote …

Even though it is so hard to translate poetry… I will give it a try…. : )

“When I see you my heart stops, because with so much love, nothing will keep us apart!

And if you want to hug me, nothing will stop me to leave you!

When you kiss me means that I will never leave you!

Your look is the only thing that makes me love!

You can run away, but you will not get away without a kiss from my eyes! ”

Please tell me if you didn’t get inspired to write a passionate card? – Don’t waist any time! – Love letters can be sometimes ridiculous but nothing comes close  to receive a passionate love letter!

Happy Valentines to all!

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: