E o cartão encarnado vai para….

Julho 2, 2014 in INSTAGRAM FAVORITE, MY HAPPY SELF

Off the Record

Não posso deixar de começar por agradecer a vossa participação no Giveaway e as deliciosas mensagens de parabéns que chegaram por várias vias e diferentes formas. Ontem passei um dia muito feliz. O meu marido pegou em mim e nos nossos filhos e trouxe-nos para um lugar lindo. Estamos a adorar e eu prometo contar tudo quando voltar, mas hoje, vou deixar-vos com um post que tenho vindo a adiar…

Cresci com dois Sportinguistas. Um ligeiramente mais ponderado, o meu pai. O outro cego e ferrenho, o meu irmão…. quando éramos pequenos, se o Sporting perdia, já sabíamos que as probabilidades de o encontrarmos a chorar em algum canto, eram grandes. Como devem imaginar chorou um bocado… muitos anos de pura dedicação sem receber vitórias para poder esfregar na cara, seja de quem for, quando alguém diminuía o seu Sporting. Para mim, desde cedo, e como qualquer irmã mais nova que se presa e que adora o seu mano, torcer para que o Sporting ganhasse era o mínimo que a minha fraternidade e dedicação exigiam.

Hoje vivo com dois Benfiquistas. Um também ligeiramente mais moderado, o meu marido. O outro… doente, o meu filho. A história repete-se mas desta vez com águias e equipamentos encarnados… Quando o Benfica perde, como aconteceu no ano passado em que sofreu várias derrotas nas finais dos “variadíssimos” campeonatos em que participou… a choradeira foi tão séria e sentida que eu, que toda a vida tive o rotulo de ser Sportinguista, dei por mim a torcer veladamente para que Benfica ganhasse. Passou de velado a evidente em pouco tempo…  acabando mesmo por se tornar gritante. Quando deixei de conseguir disfarçar os meus comentários, foi o próprio Salvador que um dia me confrontou com a realidade… “mãe, tu no fundo és do Benfica, não és?!”

Seria verdade? Teria vivido uma benfiquista aprisionada dentro de um rotulo de Sportinguista todos estes anos? Seria esta mutação provocada pelo meu benfiquismo oculto que estava agora a vir à superfície como uma ruga que chega sem avisar?

Não! Cheguei à conclusão que sou, hoje, tão Benfiquista como, até há uns anos, foi Sportinguista. A verdade é que eu não sou nada. A minha equipa é a equipa da Seleção. De resto, não sou clubista. Indubitavelmente pendo para querer ver os meus homens felizes e hoje, são os Benfiquistas que estão mais por perto!

Mesmo assim, e até sentindo esta leve afinidade com o Benfica, confesso-vos que estranhei imenso o convite do programa Off the Record, que passa em exclusivo na Benfica TV, para me entrevistar. O que iria uma decoradora falar num “Canal da Bola”?! – Como devem imaginar nunca tinha visto o programa nem sabia muito bem ao que ia, ou ao que vinham, mas, como quase sempre que faço algo inesperado, adorei a experiência. Gostei muito de conhecer o Jornalista Carlos Dias da Silva e acho que a entrevista resultou dinâmica e divertida. No final ainda tive direito a dar dois cartões a quem me apeteceu! Um amarelo e outro encarnado… Por momentos pensei como seria bom que na nossa sociedade, de vez enquanto, aparecesse um arbitro com uma boa cabeça e uma moral elevada para ir pondo algumas pessoas no seu devido lugar…

A entrevista foi aparecendo ao longo do programa com pequenos intervalos. Por isso partilho aqui o programa na integra dividido em duas partes! – Espero que gostem!

E voces? Se tivessem que dar um cartão encarnado, para quem seria? Contem-me vou gostar de saber!

UM BEIJINHO PARA TODOS… SPORTIGUISTAS, BENFIQUISTAS, PORTISTAS… TODOS MESMO SEM EXCESSÃO!

MARIA

Para os que não passaram por cá ontem, sigam o link [aqui] e não deixem de participar no Super Summer Giveaway!

Summer Giveaway