Who is the real Great Gatsby after all?

Agosto 16, 2013 in MOVIES & PLAYS, RANDOM STUFF

Dois filmes com o mesmo nome, baseados no mesmo romance… a única coisa que os distingue são os 39 anos que os separam, duas visões ligeiramente diferentes do mesmo romance clássico, uma vida de avanço tecnológico entre as duas produções e actuações substancialmente melhores, estas do século XXI.

Antes de The Great Gatsby estrear eu já andava praticamente a contar os dias depois de me ter encantado com o trailer e com alguns artigos que fui lendo sobre esta mega produção. Tinha todos os ingredientes para me apaixonar…sempre imaginei (porque nunca li o livro) que fosse uma belissima história de amor, porque o casting de atores me entusiasmou e porque acho que este realizador, Baz Luhrmann, consegue sempre pegar numa história e transforma-la em magia. Isto para não falar que sou mega fã da sua mais que premiada designer de eleição (stage and costume designer) que tem participado em todos os seus filmes deste Romeo+Juliet , Catherin Martin, e porque sabia que o guarda roupa tinha sido todo desenhado em parceria com a estratosférica Miucia Prada. A cereja no topo do bolo seriam as joias Tiffany… um pacote perfeito, imaginei. – E foi! – Em termos de cinema e realização, aparato, produção, espetaculo… foi do melhor que já vi nos ultimos tempos. Gostei tanto de tudo que levei o Salvador ao cimena passados dois dias porque achei que ele iria adorar a teatralidade de tudo e eu ia gostar de rever certas cenas e notar em cada detalhe. A fotografia, design de cenários e guarda roupa é, literalmente, de cortar a respiração. LINDO! Saimos do filme com a sensação que estivemos, nós mesmo, numa daquelas épicas festas do Jay Gatsby, que bebemos Moet Chandon ao som do charleston com beat the Jay Z e que morremos de calor numa tarde no Plaza em Nova York salpicada pelo refresco de whisky servido com muito gelo.

Nas semanas que se seguiram entre algumas críticas que li e conversas entre amigos, ouvi os piores comentários. Quase sempre por comparação com o filme anterior de Jack Clayton e Francis Ford Coppola em que brilharam Robert Redford e Mia Farrow como um dos pares mais românticos do cinema. O novo Gatsby para alguns foi enterrado vivo ou enforcado em praça publica, como algumas de vocês devem saber porque não faltaram péssimas criticas na impressa.

Por isso falo hoje, depois de ter visto a versão DVD em casa, presente de aniversário da minha querida amiga Natacha, o Gatsby de 1974 e respondendo à pergunta inicial, qual dos dois atores encarna melhor o personagem deste mítico Gatsby…. agora com conhecimento de causa, sem a menor dúvida…. LEONARDO Di CAPRIO.

Ver os dois filmes dá-nos uma prespetiva muito nítida de como Di Caprio é um ator extraordinário. Consegue passar, não só, a imagem de uma homem bonito, atraente e generoso mas que era também, ao mesmo tempo, complexado, inseguro e muito desiquilibrado. Um homem obstinado por uma paixão que cultivou durante anos, que não tinha real fundamento.

Nesta versão atual, existe uma visivel empatia entre os atores Di Caprio e Carey Mulligan. Na versão anterior não. Rober Redford é um home lindo, disso ninguém tem dúvida. Mas este personagem pedia bastante mais e isso, ele não conseguiu dar. Quase nada, nem paixão, que seria o mínimo indispensavel para o nosso coração bater. Passou muito pouco….

Ou seja, quando ouço dizer mal de Lionardo Di Caprio, penso sempre que são opiniões pouco atentas e nada fundamentadas. Dizer que este homem é um mau ator é , há falta de melhor adjetivo, foleiro. Mas enfim… what can I say?!

Em relação ao livro… não vou ler! – Achei a história muito curta em interesse. Acredito que deva estar muito bem escrito, só assim se poderia ter tornado num clássico, mas dispenso. O filme vive mesmo só da magia dos anos 20, de uma produção mega e de uma realização de mestre. Atores maravilhosos vestidos de Prada e Brooks Brothers com tiaras da Tiffany. E deste maravilhoso ator, seu nome Di Caprio, o grande Gatsby! That’s about it!

Espero que tenham gostado desta semana de cinema! – Quem não viu The Great Gatsby pode e deve comprar o DVD. Ou colocar já na lista de presentes de natal. Deve ser visto!

Siga este link para comprar o DVD

UM GRANDE BEIJINHO E CONTINUAÇÃO DE BOM FIM-DE-SEMANA COMPRIDO!!

MARIA

 

É uma casa Portuguesa com certeza…

Agosto 14, 2013 in MOVIES & PLAYS

OU SERÁ UMA CASA FRANCESA?!

Parece que é um filme português, mas afinal é um filme francês sobre a comunidade emigrante portuguesa em Paris! – Chama-se La Cage Dorée e nós traduzimos para A Gaiola Dourada! – Há falta de muitas palavras que o descrevam, posso dizer-vos que o filme é DELICIOSO! Em todos os aspetos! A unica pena que tive foi mesmo só essa de perceber que, apesar da percepção que o trailler me passou e do meu sobre-entusiasmo inicial, o filme não é português e não podemos todos, finalmente, respirar de alivio, pela produção nacional. Ainda não é desta! Mas acredito que o facto de o realizador ser luso-descendente, de esta produção ter envolvido alguns maravilhosos actores nacionais (com Rita Blanco e Joaquim de Almeida nos principais papeis) e pela forma como o filme está a ser acarinhado pelo público, esta realidade pode bem abrir uma porta, quem sabe, para que surjam filmes portugueses com um registo diferente do enfadonho, parado, teatral e “silabado ao retardador” como estamos habituados.

Este filme, ao contrario da maior parte dos filmes portugueses, é genuino, tem alma, não é pretencioso, não quer ser aquilo que não é e por tudo isso resultou na perfeição, como sendo um filme leve, divertido, de gargalhada facil, mas também com alguns momentos de seriedade, roçando levemente o drama. O que vos posso dizer?! – Adorei!!

Fiquei fã do realizador Ruben Alves! Acho que nasceu mais uma estrela no panorama cinematográfico mundial! – E esta estrela tem uma particularidade  que me agrada… fala português! : )

Aproveitem este fim-de-semana comprido e não deixem de ir ver! Juntem-se aos mais de 150 mil portugueses que desde dia 1 de Agosto têm enchidos as salas de cinema por este país fora! Vão mesmo!! Acreditem que são 90 minutos muito bem passados. E mais não digo!

UM BEIJINHO,

MARIA

 MAKING-OFF A GAIOLA DOURADA

Depois contem-me se também gostaram tanto quanto eu! Vou gostar de saber!

UM BEIJINHO,

MARIA

In English

It seems it’s a portuguese movie, but instead it’s a french movie about the portuguese comunity in Paris! It’s called “La Cage Dorée” and we translated it to “A Gaiola Dourada” – “The Golden Cage”. In lack of better words to describe it, I can tell you that the movie is a pure joy to watch! In every way! The only thing I regret is that, despite the perception I first got from the trailer and my initial over-enthusiasm, this movie is not portuguese and we cannot all finally breathe of release for the national movie production! Not yet! But I believe that due to the fact that the director comes from a portuguese back grown,this production involved a hand full of  portuguese brilliant actors (like Rita Blanco and Joaquim de Almeida in the leading roles) and the way this movie is being cherished by the public, it seems like there is an opening door for a new formula in Portuguese cinema, with a different vibe from the ones we are normally used to – boring, slow, and theatrical!

Gaiola Dourada, unlike most portuguese movies, is genuine, has a real soul and is not at all pretentious. It doesn’t try to be anything that it’s not and because of that, it comes out as  light, funny and easy to laugh movie, but also with some serious moments, slightly dramatic sometimes… What can I say? Just loved it!!

I also became a fan of the director, Ruben Alves. It seems like a star was born in the international movie sene! And this star has a special feature that I love – speaks portuguese! 🙂

Do go watch it! Join the more than 150 thousand Portuguese that, since the 1st of August, have been filling the movie theaters across the country! Please, go! And trust me, it will be a really well spent 90 minuts… and I won’t say more!

XOXO,

MARIA

The Bling Ring

Agosto 12, 2013 in MOVIES & PLAYS

Esta semana vai ser Movie Week, aqui no Addicted-to-Style. Por uma razão ou outra não tenho mencionado os filmes que tenho ido ver… mas por estes dias vou deixar-vos com a minha humilde opinião sobre aqueles que acho que, por um motivo ou outro, são imperdiveis. Pelo caminho também vi alguns mausotes mas esses ficam na lista para esquecer, nem vale a pena perder tempo.

Começando pelo ultimo que vi, e que adorei…

O GANGUE DE HOLLYWOOD

Se não tivessemos a absoluta certeza que este novo filme de Sophia Coppola é baseado numa história verídica, que todas as cenas relatadas são documentários de acontecimentos reais, que os personagens existem e que tudo aconteceu há pouco mais de 4 anos nos vales de Beverlly Hills, quase que podiamos dizer que a realizadora tinha viajado na maionese de tal forma os factos parecem exageradamente caricaturados. Um pequeno bando de miudos de classe média que se vicia em assaltar casas de celebridades para roubar bens de luxo, como carteiras de marca, vestidos, bijuteria, jóias e, claro, pelo caminho, algum cash e droga em que iam tropeçando … Um procedimento que parecia deliberadamente facilitado pelos prorietários. Nenhuma das casas e mansões que assaltaram tinha alarme ligado. Quase todas tinham uma forma de acesso ao interior muito facilitada… por alguma janela aberta ou porta destrancada. Algumas tinham a chave por baixo do tapete da porta da frente… Enfim, quase inacreditavel. Não soubéssemos nós que foi exatamente o que aconteceu nas casas de Paris Hilton, Linsay Lohan, Orlando Bloom, Megan Fox e  outros… Seria um daqueles clichés patéticos de filmes em que a plateia toda revira os olhos de incredulidade. “ãh,ãh.. a serio?! – Querem que acredite que 5 putos de 19 anos durante um mês assaltaram 5 vezes a casa da Paris Hilton e ela só deu conta à 5a vez, quando levaram bens de valor superior a 3 milhões de euros?!” – Isto faz-nos pensar na abundância absurda com que vive a maior parte destes personagens reais do mundo das celebridades estratosféricas…. no filme muitas cenas são filmadas na verdadeira casa de Paris e posso assegurar-vos que o closet dela, há falta de melhor expressão, é pornográfico.

Esta história, que fez machetes de jornais há uns anos atrás é um relato único e precioso da obsessão da sociedade com o universo das celebridades e como essa veneração mal gerida pode levar a situações extremas, obsessivas e criminosas como a história dos miudos do caso Bling Ring.

Não deixem de ver! É mais uma extraordinária obra de Sophia Copola. Uma história fascinante e um relato sociológico de grande valor. O ritmo do filme é acelerado… Não há um minuto em que a ação abrande e as cenas sucedem-se ao ritmo de uma banda sonora deliciosa. Não se espera outra coisa dos filmes de Sophia Coppola. O casting também é muito bom. A britânica Emma Watson surpreende-nos com um, quase perfeito, LA accent. e todos os outros jovens actores, maior parte deles bastante menos conhecidos, encarnam os personagens na perfeição.

Se puderem roubar mais 5 minutos ao vosso dia vejam o trailler official  do filme e uma pequena reportagem do canal norte americano NBC que nos dá a conhecer o verdadeiro gang de hollywood.

MEET THE REAL BLING RING

Se quiserem ler o artigo da revista Vanitty Fair que inspirou o filme, cliquem (aqui ). Foi escrito pela jornalista Nancy Jo Sales e publicado em 2010. Chamou-lhe “The suspects wore Louboutins” e é um relato implacável desta faixa da sociedade que se tabela por valores de vaidade, consumo desmedido, falta de padrões morais e dependência de narcóticos. Vale a pena!

Espero que gostem de Bling Ring tanto quando eu gostei! – Um clássico!

UM BEIJINHO,

MARIA

In English

This week will be Movie Week here at Addicted-to-Style. For one reason or another I have not been posting about the movies that have gone to see … but these days I’ll leave you with my humble opinion about the best movies I have been watching. not.
Starting with the last one I saw, and I loved …

THE BLING RING

If we weren’t absolutely sure that this new movie by Sophia Copola was based on a true story, that all the scenes are documentaries of real events, the characters are real people and it all happened just over four years ago in the valleys of Beverlly Hills, we could almost say that the director was running wild as the facts seem overly caricatured. A small bunch of middle class high school kids that indulge in robbing celebrity homes to steal luxury goods such as designer bags, cloths, jewelry and, of course,in the mean time, some cash and drugs that they stumble by … A procedure that seemed deliberately facilitated by the house owners, the celebrities themselves . None of these houses and mansions had their alarms on. Almost all had a easy form of access to the interior  … from an open window or an unlocked door…  Some, even  had the key under the mat of the front door … all hard to belive. If we didn’t know for sure that it was exactly what happened in the homes of Paris Hilton, Linsay Lohan, Orlando Bloom, Megan Fox and some many others … It would be one of those pathetic cliché movies where the audience all rolls their eyes in disbelief. “Uh, uh .. seriously?! – They want us to believe that 3  19 year olds, for months, brook through the home of Paris Hilton five different times and she only realized on the fifth time when they took goods worth over 3 million euros ? ” – This makes us all think of the absurd abundance with which most of these real life characters from the real world of celebrities …. many movie scenes are filmed in Paris’s real home and I can assure you that her closet, in a lack of a better word, is pornographic.
This story, which made machete newspaper a few years ago is a unique and valuable account of society’s obsession with the world of celebrities and how, when this veneration is poorly handled  can lead to extreme situations, such as obsessive and criminal situations like these kids in the Bling Ring case.
Do go watch it! It’s an extraordinary work by Sophia Copola. A fascinating story of great sociological value. The film’s beat is super high … the action never slows down to the rhythm of a delicious soundtrack. We just don’t expect anything else from Sophia Coppola, right?! The casting is also very good. Britain’s Emma Watson surprises us with a nearly perfect LA accent. And all the other young actors, most of them less known, embody the characters perfectly.

Do watch the official trailer of the movie and a short investigation report from North American channel NBC that introduces us to the real hollywood Bling Ring gang.

If you want to read the Vanitty Fair article that inspired the movie, click (here). It was written by journalist Nancy Jo Sales and published in 2010. She called it “The suspects wore Louboutins” and it’s a ruthless picture of this society that values vanity, overconsumption, lack of moral standards and narcotic addiction. Worth the reading!

Hope you like The Bling Ring as much as I did! – It’s a classic!

XOXO,

MARIA

Paulette is my new hero!

Abril 23, 2013 in MOVIES & PLAYS

 

Sabem aqueles filmes em que damos por nós a torcer pelo mau da fita?? Foi o que me aconteceu em Paulette! – A velha senhora é racista, impiedosa, mal criada, desagradável e “on top” vira dealer de droga, mas das boas! – E eu apaixonei-me por ela… Não consegui evitar!!

Adoro uma boa comédia francesa! Primeiro, começa pelo balançar da língua que me encanta e depois gosto mesmo do humor francês, muito sagas sempre carregado de ironia!

Sem desvendar quase nada, imaginem um cenário de miséria social em que uma senhora viúva de 70 e muitos anos não consegue pagar as suas contas básicas com a reforma que recebe da segurança social e um dia… um dia lança-se no mundo do narco-trafego! – Ao que parece, esta história, apesar de não ser 100% fiel a uma única história verídica, é inspirada particularmente na história de uma senhora de 77 anos que ficou conhecida por vender haxixe nos arredores de Paris e em vários outros casos semelhantes que têm acontecido em França nos últimos anos, de senhoras e senhores reformados que acabam por se virar para este tipo de atividade na procura de uma vida melhor. Alguns acabam presos! – Ou seja, no meio do humor, este filme é uma brutal e arrepiante critica social! – Eu tenho que confessar que durante os 83 minutos de filme o meu humor foi oscilando entre o estado de hilariedade e o de profunda tristeza e consternação, só de imaginar certos cenários na vida real, como o da viuvez e solidão…. belissimamente retratados pela atriz Bernadette Lafont.

O filme de Jérôme Enrico é meso bom, não vale a pena dizer muito mais! – Vão ver!

 

In English

Do you know the kind of movie where you are cheering for the bad guy to wine? That’s what happened to me at Paulette! – The old lady is racist, ruthless, evil, unpleasant and “on top” became a drug dealer, a very good one! – And I fell in love with her … I couldn’t help myself!
I love a good French comedy! Starting with that swinging of the tone of the language that delights me and then I really like the French humor, very witty and always loaded with irony!
I don’t want to unravel much, but try to picture a scenario of social misery in which a widow lady on her 70s can not pay her bills with her social security pension and one day … one day she turns to the narcotraffic under world! – Apparently this story, despite not being faithful to a single true story, is inspired by several similar cases that have happened in France in recent years, old ladies and gentlemen pensioners who end up turning to this type of activity in the search of a better life. Some are arrested! – That is, despite all the fun and humor, this film is a brutal and chilling social criticism! – I must confess that during the 83-minute of the film, my mood was swinging between the state of pure hilarity to deep sorrow and dismay, just imagining certain scenarios in real life, such as widowhood and loneliness …. beautifully portrayed by actress Bernadette Lafont.

This movie from director  is really good, not worth saying much more! – Just go watch it!

 

 

 

 

This is 40! – Is one big laugh!

Março 19, 2013 in MOVIES & PLAYS

Imaginem um casal de 40 anos, com duas filhas com 8 e 13. Agora pensem em todos os estereótipos possíveis que podem acontecer nesta realidade familiar… falta de apetite sexual, problemas financeiros, dificuldade em lidar com o passar dos anos, colesterol alto, falta de comunicação, uma pré-adolescente em convulsão hormonal, uma filha mais nova com chamadas de atenção constantes, a mulher que fuma às escondidas e o marido que come hamburguers como se não houvesse amanha…. os pais que vão “vasculhar” o facebook da filha…. a filha que descobre… é um não acabar de uma sucessão de estereótipos apimentados por um humor impiedoso. Não somos poupados a nada, nem à visão desagradável e repetida do pai – Pete- constantemente sentado na  sanita a jogar Ipad. Lord!!!!

Se vos está a apetecer rir muito, vão ver! – O casting é fabuloso. A atriz Leslie Mann (mulher do realizador e diretor do filme – Judd Apatow) e o ator Paul Rudd são tão credíveis neste papel de casal de 40 anos que nos levam, literalmente, numa viagem divertidissima em que o nosso humor vai passar por varias fases de hilaridade e diversão, mas, ao mesmo tempo, passam tão bem uma mensagem de amor incondicional e de compaixão. Todos nos vamos rever em, pelo menos uma, das situações caricatas do filme… seja a “perna aberta” no ginecologista, ser apanhada a mentir na idade ou a cobiçar as maminhas de uma rapariga de 25 anos. Quem nunca pecou que atire a primeira pedra! : )

As duas atrizes que interpretam o papel de filhas do casal, são, na vida real filhas da atriz Leslie Mann e do Diretor Judd Apatow. Foram as duas brilhantemente convincentes nas suas atuações.

(Vejam este video)

Let’s look at the trailler!! : )

 

In English

Imagine a couple in their 40s with an active professional life with two daughters, 8 and 13 years. Now try to picture all the strange but possible stereotypes that can happen in such a scenario …. lack of sexual appetite, financial problems, difficulty coping with the passing years, high cholesterol, lack of communication, a teen daughter in constant hormonal upheaval, the younger one in desperate need of attention, the wife who hides to smokes  and the husband that eats hamburgers like there’s no tomorrow despite the wife’s attempts to put him on a diet … is a long succession of stereotypes peppered by a ruthless humor. We are not spared of anything, not even the unpleasant sight of the father – Pete – repeatedly sitting on the toilet playing Ipad. Lord!!

If you are up for a good laugh you must go watch it – The casting is fabulous. The actress Leslie Mann (wife of the film’s director Judd Apatow) and actor Paul Rudd are so credible in this couple’s shoes that, literately, take us on a journey in which our mood will go through several phases of hilarity and fun, but at the same time, they can, as well, also pass a message of unconditional love and all the effort put in making a marriage work as a project for life. We will review ourself’s in, at least, one of the awkward situations   … sitting with legs wide open in the gynecologist, getting caught lying about your age or snooping on your kids facebook … who never sinned, cast the first stone! 🙂

My worst from the Oscares 2013

Março 2, 2013 in FASHIONABLE, MOVIES & PLAYS

 

Espero que as senhoras que se seguem no escrutínio estejam as duas bem de saúde, física e mental. Preferencialmente, espero que as minhas leitoras sejam todas boa onda e bem resolvidas. Já agora seria também ideal que não houvesse qualquer tipo de relação entre quem me lê e a patetinha da Kristen Stewart, para não transpirar nenhum tipo de “queixinha” e eu não acabar com um processo em tribunal. You never know…

Esta miúda, que é linda de morrer, leva a “Bicicleta embrulhada em papel celofane e com um grande laço brilhante” – O prémio para a pior presença na passadeira vermelha dos Oscares é mesmo dela. Sem duvida!

Começo por não adorar o vestido e a forma como assenta (ou não) no seu corpo. Aquela parte do peito ficou muito mal… Parecia que ia cair a qualquer momento. Péssimo!

A cor ficava indescritível nela… “look massa para bolos” como eu costumo dizer…. Faltavam-lhe mais 15 minutos no forno!

A maquilhagem também não estava bem… com os olhos com sobra cor-de-rosa encarniçado… achei meio deprimente.

O cabelo… nem tenho comentários para este cabelo desgrenhado e empapado. Nos Óscares?! … Um desnexo!

A nódoa negra no braço sem ser disfarçada… só mais um detalhe de classe!

Por fim… pior que tudo… má atitude! – Sempre péssima atitude! – Quem não gosta de tirar fotografias não se mete num mar de fotógrafos! Ninguém lhe explicou que podia ter ficado em casa a ver a cerimonia pela televisão?! Foi pena… Escusava-se a fretes e sorrisos amarelos e a andar meia passadeira de muletas meia passadeira sem muletas… enfim, cresce pequenita! – És linda, talentosa e tens um potencial de vida profissional esplêndido pela frente. Chá de humildade e gentileza ao pequeno almoço pequenina! A coisa resolve-se!

 

Houve outros looks que não adorei mas as senhoras estavam quase todas tão bem dispostas e sorridentes que me custa dizer mal sequer. Para alem disso as que tiveram o azar de fazer uma menos boa escolha, como por exemplo a atriz Helena Boham Cárter que mais uma vez se deve ter embriagado antes da passadeira vermelha e consegue sempre dar um ar levemente medíocre aos consecutivos vestidos Vivian Westwood que escolhe… já foram tão linchadas em praça publica que me posso poupar aos reparos!

Vá lá… só para nos rirmos um bocadinho deixo-vos com uma imagem da actriz nesta cerimonia dos Oscares e outros tesourinhos deprimentes de apariçoes publicas anteriores! Divirtam-se! 🙂

 

 

My best of the Oscars 2013

Março 1, 2013 in FASHIONABLE, MOVIES & PLAYS

No meio de tanta conversa de férias para a frente e para trás não vos passe pela cabeça que a cerimonia dos Oscares passou despercebida aqui por estes lados. – Como qualquer pessoa que vibra com cinema da forma que eu vivo cada filme e que gosta de moda e glamour… os Oscares da academia são o melhor “dois em um” que eu conheço! – Ou quase, existem outros… : )

O cinema é um dos meus vicios declarados e assumidos por isso nunca poderia ficar indiferente a esta festa de Hollywood. Começando com a antecipação da passadeira vermelha… quem vem, com quem vem… mas muito mais importante…. como vem! – E terminando no momento alto da noite com a revelação do filme premiado com o Oscar para Melhor Filme!

Este ano começou morninho, porque na verdade não houve nenhum vestido que me suspendesse o fôlego. Vi estoicamente a emissão da red carpet até ao fim na esperanaça de ser arrebatada, mas nop! : ( – A verdade é esta… elas são todas lindas, imaculadas e os vestidos são praticamente todos muito bonitos, salvo honrosas exceções… esta geração de atrizes e as maravilhosas que as antecederam colocaram lá a fasquia bem alta. Eu sei… é quase imoral dizer que não amei…. mas lembrem-se por exemplo do momento em que, há um ano, chegou à passadeira vermelha a atriz Gwyneth Paltrow , LINDA, com aquele Tom Ford branco, extraordinário… ficámos todas petrificadas, certo? Lembram-se?! – E tantos outros momentos icónicos que viverão para além das suas próprias musas. Imagens que farão sempre parte deste universo pop que nos alimenta a imaginação e nos faz sonhar.

Dito isto, filosofias à parte, quem leva o microondas para casa este ano é sem duvida….

Jennifer Lawrence, claro!

A miúda arrasou! – (eu já cheguei àquela idade em que acho a Jennifer Lawrence praticamente uma bebe, mas uma bebe cool, entenda-se!)

Para não falar no facto que limpou todos os prémios que havia para limpar…. o Oscar foi mesmo a cereja no topo do bolo.

E ela, pela primeira vez neste “award season” não estava com pneumonia ou com gripe ou lá o que foi que se lhe pegou e fez com que a rapariga não conseguisse mostrar os dentes cada vez que era parada por um jornalista na passadeira vermelha. Mesmo para os fotógrafos teve sempre alguma dificuldade em sorrir, e para mim uma mulher que se leva tão a sério que não consegue rir para uma foto, não tem a menor graça. – Mas não foi esse o caso! – A pequena esteve doente e possivelmente esgotada fisicamente por todo este reboliço na sua vida. Não a censuro! – Mas tudo isto para dizer que desta vez, já estava obviamente curada e restabelecida porque até com aquele vestido sem uma graça para lá do normal (Christian Dior) ela arrasou. Estava visivelmente feliz, mesmo antes da cerimonia, e a felicidade é mesmo um dos maiores segredos de beleza. Estava também com um bocadinho de fome (como confessou ao ser entrevistada por Ryan Secrest), é certo, mas linda, bem penteada e maquilhada, com um colar de diamantes a cair-lhe sobre as costas que me deu logo vontade de ir fazer exatamente a mesma coisa. Estava de pijama, é certo e não tenho nenhum colar sequer parecido…. mas fiquei a pensar no assunto com alguma seriedade. : )

Quando ela subiu ao palco para receber aquele prémio, até o facto de ter caído teve graça e mostrou, pela forma como deu a volta ao incidente, começando o seu discurso por agradecer a ovação de pé que deveu ao embaraço geral que possivelmente sentiram pela sua queda, que é uma miúda inteligente e que tem um ótimo sentido de humor. O discurso foi curto e emocionado, mas não foi tão memorável como a própria da queda!

Mas ela não viu o que nós vimos… na verdade a plateia levantou-se antes da queda! – Não há duvida que Hollywood se rendeu aos encantos desta loira, simpática, genuína e super talentosa! – Sem duvida a nova sweet hart da america!  E agora que está solteira imaginem iste cenário … Jenny (olha a intimidade… ) + Brad (Bradley Cooper) – pela química que emanaram em “Um guia para um final feliz” não seria um “filme” de todo impossível…  Sou tão casamenteira… isto é um problema que eu tenho! : ) Go Brad… chega-te à frente porque não se vão cruzar muitas pelo caminho com este calibre e este nível de qualidade!

 

 

E depois do primeiro momento alto passamos para o ultimo e melhor de todos que foi a condecoração do filme ARGO como melhor filme.

Tive o prazer de ver este filme a bordo do avião que me levou para Miami na semana passada. Não o vi com a imponência do grande ecrã, como gosto, é certo, mas mesmo em formato mini, o filme tirou-me o fôlego por algumas vezes. É o relato belíssimo de uma história daquelas que nos faz crer que quando uma pessoa acredita mesmo em alguma coisa, essa “coisa” por mais estapafúrdia e desconexa que possa parecer, pode sempre tornar-se realidade. Ben Afleck teve um momento glorioso não só como ator mas também como realizador . A verdade é que a história está tão bem contada que nem chego a entender como não foi sequer nomeado para o Oscar de melhor realizador. O mínimo teria sido uma nomeação… enfim, mas levou o Boneco mais pesado de todos e mais completo. A concorrência era feroz. 2012 ficará para a história como um ano de ouro do cinema americano…. mas quando o filme acabou, tive poucas duvidas que não fosse o vencedor! ARGO é daqueles filmes que não se esquece.

O discurso de agradecimento foi ligeiramente ofegante mas muito emotivo. – Não é difícil de perceber porque… receber o Oscar para melhor filme em sí deve ser uma experiencia extra sensorial, mais um pouco se o premio for entregue pela Primeira Dama Michelle Obama. Imagino que tenham sido uns segundos/minutos muito surreais na vida daquele rapaz. E depois de debitar bastabtes agradecimentos de uma forma bastante atrapalhada acabou com uma declaração de amor publica o que é sempre uma coisinha que me deixa de lágrima no olho. Sou uma eterna romântica por isso acho que este dois mereciam o oscar para o Casal mais Cool da noite. Não só porque são os dois bonitos, estavam os dois belíssimos, são os dois super talentos e irradiavam um felicidade genuína. Adoro perceber rasgos de normalidade nestas celebridades. Parece-me uma coisa tão mais saudável.

E para vocês , quais foram os momentos mais altos da Cerimonia dos Oscares? – Não se preocupem, amanha falamos dos mais baixos… : )

In English

 With all this talk about vacations and holidays …don’t even think that the Oscar Ceremony went unnoticed. – As anyone who loves movies, fashion and glamor …  the Academy Oscars are the best “all in one”  that I know. Or almost, there are others … 🙂

Movies  are one of my dearest addictions so I could never be indifferent to this Hollywood “festival”. Starting with the anticipation of the red carpet … who comes, whith who … most important …. wear what?! – Finishing with the high moment of reveling the oscar for best movei.

I didn’t think this red carpet was the best… Honestly there wasn’t one dress that took my breath away. I watched the all thing hopping for that Uau! moment to come, but it just didn’t !: (- The truth is … they are all beautiful, pristine and almost all the dresses are imaculate… but this generation of talented woman and the wonderful actresses that preceded them just set the standarts very hight. We are akways expecting greatness and perfection from them, don’t we?! I know it’s almost immoral to say … but I just didn’t love …. not like last year when Gweneth Paltrow, came out wearing that beautiful Tom Ford dress, we where all mesmorised … p, right? Do you remember?! – And many other iconic moments that will live beyond their own muses. Images that will always be part of the pop universe that feeds the imagination and makes us dream.
That said, and to stop the philosophies, who takes the #1 medal home this year is undoubtedly ….

Jennifer Lawrence, of course!

The girl rocked! – (I’ve reached that age where I think Jennifer Lawrence is practically a child, but a cool one!)

Not to mention the fact that wiped all the awads there was to wine this season …. Oscar was finally the icing on the cake. And, for the first time this “award season” she no longuer  had peneumonia or flu or whatever it was that she had that unabled her to show of her beautiful smile every time she was stopped by a reporter on the red carpet. Even for photographers she always had some difficulty in smiling, and as I see it a woman who takes herselfm so seriously that thinks its uncool to smile at a picture, is no fun. – But this was not the case! – The poor thing was sick and possibly physically exhausted by all this turmoil in her life. Do not blame her! – But all this to say that this time around, she was obviously healed and restored because even with that dress ( not great) she looked  flawless . She was visibly happy, even before the ceremony, and happiness is one of the biggest beauty secrets. She was also hungry (as she confessed to  Rian Secress), true, but beautiful, well coiffed and dressed up with a diamond necklace falling of on her back that made me just want to go do exactly the same thing. I was in my pajamas, and I also don’t have a necklass that looks like it …. but I am seriously thinking about it. 🙂

When she walk up the stage to receive the oscar, even the fact that she had fallen with such grace just showed how bright and inteligent she is. She began her speach by thanking the standing ovation that was probably due to general embarrassment caused by that fall , which was a smart move. The speech was short and emotional, but it was not as memorable as the fall itself!

But she did not see what we saw … the audience actually stood up before the fall! – There is no doubt that Hollywood is redeu to the charms of this blonde, friendly, genuine and super talented actress! – Without a doubt the new sweet hart of america! Now can you picture … Jenny (for friends) + Brad (Bradley Cooper) – the chemestry that emanated during the movie where contracenaram would not be a movie at all impossible. I’m as matchmaker … This is a problem I have! 🙂 Go Brad … Go near the front because not many will cross the road with this caliber and this level of quality!

And after the first time high pass to the last and best of all it was the movie ARGO award as best film.

I had the pleasure of seeing this movie in the day I went on vacation to Miami. Not seen with the grandeur of the big screen, how to taste, to be sure, but even in mini format, the film took me a few times I am glad. It is the story of a beautiful story of those that makes us believe that when a person really believe in something, that “thing” for more rambling and preposterous as it may seem, can ever become reality. Ben Afleck had a glorious moment not only as an actor but also as a director. The truth is that the story is so well told that not understand how come it was not even nominated for the Oscar for best director. The minimum would have been an appointment … finally, but it took the Snowman heaviest of all and most complete. The competition was fierce. 2012 will go down in history as a golden year of American cinema …. but when the movie was over, I had little doubt that it was not the winner! ARGO is one of those movies that does not forget.

The acceptance speech was slightly breathless but very emotional. – It is not hard to see why … receive the oscar for best film in itself should be a rich experience extra sensory, slightly more if the prize is delivered by First Lady Michelle Obama. I imagine it has been a few seconds / minutes very surreal life that boy. And after bastabtes charge thanks to a fairly clumsy ended with a public declaration of love which is always a little something that makes me tear in the eye. I am an eternal romantic so I think these two deserve the Oscar for couple more Cool night. Not only because they are both beautiful, they were both beautiful, are the two super talents and radiated genuine happiness. I love to see these celebrities tears of normality. It seems to me something so healthy.

In your opinion  what were the best moments of the Oscars ceremony? – Do not worry, tomorrow we’ll talk about the not so great moments … 🙂

Last night I felt in love with Django!

Fevereiro 4, 2013 in MOVIES & PLAYS

Django Unchained é sem a menor sombra de duvida o melhor filme que já vi de Tarantino desde o seu clássico e celebre Pulp Fiction. Preparem-se para 2:45 minutos que voam como se fossem 15. Não estou a exagerar! – O filme é exemplar em todos os aspetos. A história é maravilhosa. Fala-nos de racismo numa america sulista retrogada no final do século XIX, ao mesmo tempo que nos conta uma história de coragem, bravura, segundas oportunidades e amor. Mas, na verdade, é ainda mais. É o resultado de um casting exemplar, uma história perfeita, personagens incríveis, desempenhos fabulosos. Apesar de ser dificil esolher qual deles o melhor, Chrisloph Waltz é sem duvida a grande estrela do enredo, mais uma vez a brilhar de uma forma indiscutível num filme de Tarentino. Como quase sempre nos filmes deste realizador somos brindados com uma banda sonora brutal. O filme é épico! – Ri-me mais vezes do que imaginei! Mesmo durante as cenas mais violentas, existe sempre um fator de descontração quase como se estivéssemos a ver desenhos animados. A violência é levada a um extremo que deixa de parecer real. A forma como o sangue esguicha,  jorra e os corpos saltam tem sempre uma ligeireza de irrealidade o que ajuda pessoas mais impressionáveis, como eu, a seguir a narrativa sem ter que estar sempre a fechar os olhos. Apetecia-me ficar aqui a desbravar algumas cenas mas na verdade, nada chegará perto de irem, já hoje, e aproveitando os descontos de segunda feiram, ver Django! Não se pode perder!

Photo from my Instagram

DJANGO UNCHAINED

 In English

Django Unchained is without a shadow of a doubt the best movie I’ve seen since Tarantino’s classic Pulp Fiction. Prepare yourself for 2:45 minutes that fly like it’s 15. I am not exaggerating! – The film is great in every aspect. The script is wonderful. Tells us about racism in a southern retrograde America in the late nineteenth century, while also tells a story of courage, bravery, love and second chances. But in fact, it is even more. It is the result of an extraordinary cast a perfect story, amazing characters, fabulous performances. Although it is difficult to chose which one the best, Chrisloph Waltz is undoubtedly the star of the plot once again to shine in an indisputable way in a Tarentino movie. As always in a movie by this director we are treated to a great soundtrack. The movie is epic! – I laughed more times than I imagined! Even during the most violent scenes, there is always a cool factor, almost as if we were watching cartoons. Violence is taken to an extreme that no longer seem real. The way the blood spurts, and bodies bounce always has a lightness of unreality which helps more impressionable people, like myself, to follow the narrative without always having to be with eyes shut. I could start describing some of the scenes, but really, nothing will come close to going, today, and taking advantage of the Monday discounts, watch Django! You shouldn’t miss it!

 

 

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: