Best Dressed from the Red Carpet Season 2016 [so far]

Fevereiro 25, 2016 in FASHIONABLE

jane-fonda-golden-globes-2016

jane-fonda

Este ano não cheguei a fazer nenhum post sobre as Red Carpets da vida, vestidos e afins…. não quer dizer que não ande atenta. – Tenho ido menos ao cinema, é verdade. Mas a minha curiosidade para a grande apoteose dos Oscares está cá, como em todos os anos anteriores. No dia 28 vou estar com um balde de pipocas e uma mantinha de polar em frente à televisão como maior parte de vocês. É uma cerimonia que adoro e que antecipo. Claro que faz muito mais sentido quando já vimos todos os filmes nomeados e temos a nossa opinião formad’ (issima). Este ano, infelizmente, não é o meu caso. Dos filmes nomeados vi apenas O Caso Spotlight, The Revenant e The Big Short. Parece que falta praticamente tudo…

Falta também o filme Youth que valeu a Jane Fonda uma nomeação de um Globo de Ouro para Melhor Atriz. A Red Carpet dos Golden Globes foi das poucas a que assisti e a única cerimonia que vi, na Sic Caras. Confesso que pelo que depois fui vendo na imprensa acho que foi de longe a Red Carpet mais gira, com mais sumo, se me entendem. Tudo o resto… Critiscs Choice Awards, Sag Awards…enfim… pobre. As atrizes (ou as suas stylists não têm andado muito inspiradas) .

Seja como for, não posso deixar de fazer este post em que, antes dos Oscares, entrego a taça das “Red Carpets” à atriz Jane Fonda. Não só porque é linda, do alto dos seus 78 anos. Porque é elegantíssima e parece que qualquer trapinho de fica bem. Mas neste caso particular, porque tinha efetivamente o vestido mais giro de todos!!! – Eu, sei… foi achincalhada na internet… pois ora a compararam a um suspiro, um cupcake, um pierrot, ou um telhado…. mas esqueçam! Esta mulher estava divina. O Vestido Saint Laurent Couture era, não só original como lhe acentava na perfeição. O brilho dos folhos era do outro mundo. Branco no inverno é chiquissimo. E… todo o styling estava perfeito. Cabelo, maquilhagem, acessórios… Joias Chopard e sapatos Jimmy Choo. MARAVILHOSA! Uma lição de estilo e bom gosto. Olha, só vos digo uma coisa… quando for grande quero ser assim!

A proposito deste seu ultimo papel no cinema, a atriz foi convidada dela CBS para participar numa rubrica que se chama “Note to Self”. Foi esta carta que ela se escreveu. Leiam (ou vejam). É comovente!

Dear Jane,

What you don’t realize now is that your life will be life a big circle, passing through many dark periods when you will see no future for yourself, when you won’t know who you are and you won’t feel anyone could ever love you.

Right now, you want to be a boy, preferably a Native American boy, living in the wilderness and passing through it silently, invisibly, with stealth.

You will be sexually molested at seven, just as your mother was as a child. When you are 12, your mother will commit suicide and the bravery and spunk of your earlier years will seem to fall by the wayside. You’ll come to feel that you have to be perfect if you want to be loved — meaning thin and pretty and appealing and certainly not angry. You’ll have to be a “good girl” to be loved. Living in-authentically like this will lead you to various addictions that will dominate much of your life and energy.

Your parents are both self-involved, so you will grow up not really knowing what love feels like. What will come to pass is that, through a lot of hard work you will realize that your parents did the best they could. You will learn to remember them with compassion and love and forgiveness and become your own person.

I wish I could explain to you that the painful things that will make your life challenging and get you in trouble are the things that will ultimately make you strong and compassionate.

Your biggest strength will be that you won’t shut down and become cynical. You will become an activist. You will discover that doing this will give your life a meaning you don’t think is possible right now. It will be the rent you pay for life.

You are a late bloomer, so it won’t happen quickly, but your ability to be honest with yourself, your desire to make sense of it all, to learn from your mistakes, will permit you to blossom into life. A woman with courage, imagination and resilience.

As I read this, I am about to turn 78. And though I know you’ll find this impossible to believe, this is the happiest I have ever been. It was all worth it, the good and the bad.

So don’t give up. I’m proud of you because you will never settle for less than you think you can attain.

Love, Jane

beijinhos

Golden Globes 2015 [aqui]