A short and cold visit to the Big Apple

Novembro 17, 2014 in GLOBETROTTER, INSTAGRAM FAVORITE

Nova York

Na semana passada, apesar de ter ido dando algumas noticias por aqui, estive doente com uma amigdalite como já não tinha há…. ? Será que alguma vez tive uma assim?! Nem sei… Mas pronto… depois de duas idas ao médico e uma caixinha de antibiótico que eu odeio tomar (porque acho sempre que me está a fazer bem a uma coisa e mal a vinte…) lá fui melhorando a passo de caracol. Salvou-me ter o Rui por perto porque me foi aqui gerindo as coisas por casa e mimando, que é sempre uma coisa que nos sabe bem quando estamos mais vulneráveis. E ao ver-me melhor na 6a feira, não fez mais nada… pegou em mim e levou-me a jantar fora… sabem onde? Nova York! (praticamente ao lado de casa portanto…) – Sim que isto de vida de piloto não é sempre fácil mas depois tem destas coisas boas… Eu teria ficado feliz com um ramo de flores mas confesso que o jantarinho em Nova York me soube pela vida. Eu sei, vocês vão dizer… “mas deve ter demorado uma eternidade para lá chegar!” – Confesso que me pareceu quase tudo rápido. Entre as refeições (eu sou daqueles cromos que adora refeições a bordo), conversa e leitura (li um livro da primeira à ultima página) as oito horas de voo, voaram… literalmente! – Pior mesmo foi a fila para o controle de passaportes à chegada, mas pronto… Como o Rui ia a trabalhar passou rapidamente como tripulante mas depois teve de esperar uma hora por mim. Que isto de ser civil, à entrada dos Estados Unidos, tem o que se lhe diga… paciência é a palavra chave para ir aguentado a seca com um sorriso na cara! É assim… estás em Nova York certo?! O impacto emocional não pode, nem deve, ser o mesmo da espera numa fila na repartição de finanças… estás a um paço de estar na Big Apple… Encara lá a fila com com cara alegre!

E assim foi, com um sorriso na cara, cheia de frio (porque deviam estar uns 3ºC…) um bocado cansada, não só pela semana complicada que tinha tido mas também pela viajem, que eu fui jantar na melhor companhia que o Universo me deu. E depois de ter passado uma semana a sentir-me miserável, acabei a minha 6a feira como uma princesa, a jantar num restaurante trendy no Village, rodeada de muito barulho e gente gira… feliz porque o pior já tinha passado!

No sábado ainda tive direito a um pequeno almoço num Diner típico americano, a um passeio pela 5a Avenida, com direito a paragem demorada na J.Crew, claro… com é muito, muito obvio…  e a saborear uma “New York’s Favourite Pizza” no Famiglia para o almoço (que isto de ir a NY e não comer, nem que seja uma vez, em prato de papel, não está com nada) …  Quando chegou ao fim, esta minha breve passagem por NY, já nem me lembrava que tinha estado doente. Tudo me pareceu completamente remoto… Voltei feliz e com vontade de fazer, sabem o quê? – A árvore de Natal! – Acho que vai ser já hoje.

beijinhos

In English

Last week, despite having posted some times, I was ill with the worst throat pain ever  ….? Will I ever had one like that ?! I don’t know … But well … after two visits to the doctor and an antibiotics prescription, which  I hate taking  (because whenever I think is doing one thing good I imagine twenty others it’s doing bad…) I was better by the end of the week. It was great that Rui was around helping managing things with the kids and spoiling me, which is always a good thing when we are most vulnerable. And as I was obviously much better by Friday, he decides to invite me for dinner …  guess where? New York! – A pilot’s life is not always easy but then they have these great things … I would have been happy with a bouquet of flowers but I confess that dinner in New York was a little bit more exciting . You are probably thinking … “but it takes forever to get there!” – I admit that almost everything seemed fast. Between meals (I am one of those nerds who loves plain meals), some talk and reading (I read a book from the first to the last page) the eight-hour flight, flew away… literally! – The worse was the passport control queue on arrival … As Rui went as a crew member he passed quickly but then had to wait an hour for me. Being a civil, entering the United States, requiers some patience. But then again it’s like … you’re in New York right ?! The emotional impact can not, and should not, be the same as waiting in line at the tax office … you’re one step away from the Big Apple … so just put a smile in that face and wait!

And so it was.. with a smile on his face, super cold (because it should be about 3 ° C …) and a bit tired, not only by the difficult week he’d had but also by the journey, I was dining in the best company that the Universe gave me. And after having spent a week feeling miserable, I finished my Friday like a princess, dinning at a trendy restaurant in the Village, surrounded by a lot of noise and fancy people… so glad the the storm was over and done!

On Saturday I was still entitled to breakfast at a typical American Dinner, a walk through 5th Avenue, completed with a stop at J.Crew (what else?!) … and to enjoy a “New York’s Favourite Pizza” for lunch at the Famiglia restaurante (going to NY and not eating, even if just once, from a paper plate doesn’t feel like the real deal) … When it came to an end, my brief one-night-stop in NY , I didn’t remember anymore that my throat had ever hurt. Everything seemed quite remote … I came back happy and willing … you know what!? – Put up my Christmas tree!