#2 Passatempo – Casa Feliz

Abril 24, 2013 in GIVING BACK!

 

Ontem foi o DIA MUNDIAL DO LIVRO e para comemorar esta data com algum estilo vou fazer um passatempo que chamei CASA FELIZ. Como alguns de vocês sabem tenho um livro escrito sobre decoração que batizei de Casa Feliz. O livro pretendeu ser um guia prático de decoração, mas pelo facto de não ser um livro com fotografias e porque eu, escrevo como falo, ou seja, escrevo “pelos cotovelos”, o livro, como disse e bem a minha mãe no dia em que o leu, parece mais a autobiografia de uma decoradora de interiores e menos um “do it your self – book”.

Neste pequeno livro de 273 páginas eu tentei passar toda a minha experiência e conhecimento colecionados ao longo de uma vida….

Desde os primeiros anos em que decorava as casas das minhas bonecas. Passando para os planos das casas do club com as minhas companheiras de aventura ou para quando fazia projetos (em planta) para a minha futura casa. Normalmente era uma casa gigante onde viveria eu e uma das minhas amigas…) planeávamos espaços polivalentes para os muitos filhos que imaginávamos um dia vir a ter mas sempre numa realidade onde não existiam maridos. Do género brincar aos pais e às mães só com as mães…Tínhamos 10 anos. Até acho compreensível…

Pela adolescência o meu interesse continuava evidente nas reformulações que fazia no meu quarto. Depois numa fase em que era uma muuuito “jovem adulta” quando, com 20 anos, planeei as obras de reformulação da minha primeira casa. Um pequeno apartamento a precisar de muitas obras que eu transformei, literalmente, numa casinha de bonecas. – Nesta fase da minha vida tinha parado de estudar no IADE para ser assistente de bordo. Um dia, a minha tia Nucha, foi visitar a minha nova casa, e disse-me que eu tinha encontrado a minha vocação. Tinha 20 anos e tinha feito um belíssimo trabalho de reconstrução e remodelação…. Iria com certeza fazer aquilo para o resto da vida. Foi tudo o que eu precisei de ouvir para abandonar os aviões e começar a procurar cursos de decoração em Londres.

Passados dois anos estava a estudar na KLC School of Interior Design. A melhor aposta académica da minha vida. De volta a Portugal, só havia uma pessoa com quem eu queria trabalhar… Não tinha “cunhas” mas tinha um belíssimo Portfólio e, claro, sempre uma boa autoestima, que ajuda muito. Fui-me apresentar pessoalmente no gabinete de decoração de Graça Viterbo e no dia a seguir estava a estagiar.

Com um bom curso e um melhor estágio, pouco tempo depois estava a trabalhar sozinha. Sempre com muito amor por estas coisa de criar casas e fazer ninhos.

Encontrei uma ocupação que poucas vezes chego a sentir como um “job” à séria. Faço o que gosto desde os meus 23 anos… e desde ai nunca parei de trabalhar. Nem quando tive os meus filhos… trabalhei até ao ultimo dia da gravidez e nunca tive a oficial “licença de parto”. Os meus filhos cresceram entre conversas de decoração, livros de inspiração e visitas de fornecedores. Porque tive o meu escritório em casa até há muito pouco tempo, as pessoas que gravitam à volta deste meu mundo passaram a fazer também parte do deles. O estofador, o marceneiro, o colocador de papel, o pintor, o mestre de obras… fazem praticamente parte da família. Sabem o nome deles todos, conhecem alguns dos meus clientes e têm grandes probabilidades de conseguir distinguir um trabalho em “capitoné” de um “boutonniere”.

Isto para vos contar porque o meu primeiro livro teria que se chamar CASA FELIZ. Porque entrei neste mundo por puro prazer e por total vocação. Porque, para mim, decoração, faz efetivamente parte de um processo muito feliz. Nunca pensei que esta profissão poderia ser uma ponte para ganhar bem ou mal… Para ter ou não notoriedade. Pelo contrário… Cheguei aqui porque deixei o universo fazer o seu papel e fui ouvindo os sinais….  Ao fim de todos estes anos, continuo a ser uma péssima “vendedora” mas uma feliz decoradora. A minha essência em nada se alterou…. não consigo fazer o que não gosto e continuo a ficar desmoralizada sempre que um cliente me pede para fazer uma “casa beije”. : ) – Por estranho que vos possa parecer… ainda acontece!

Bem, vamos então ao que interessa!

#2 PASSATEMPO – CASA FELIZ

Para se habilitar a ganhar um livro CASA FELIZ com uma dedicatória personalizada para si ou para alguém a quem o gostaria de oferecer só terá de:

1- SEGUIR O BLOG EM *FOLLOW (no canto inferior esquerdo do ecrã) – Se quiserem podem seguir em KEEP IN TOUCH mas não é mandatório.

 

2- SEGUIR A MINHA PÁGINA MARIA BARROS HOME NO FACEBOOK 

 

3 – DEIXAR UM COMENTÁRIO A ESTE POST ONDE TERÁ QUE RESPONDER À PERGUNTA:

VIVE NUMA CASA FELIZ?? (pode responder simplesmente SIM ou Não. Ou, se tiver tempo, pode também deixar algum tipo de explicação) – NÃO SE ESQUEÇA DE INCLUIR O SEU PRIMEIRO E ULTIMO NOME.

Só serão apuradas para o sorteio as pessoas que, para além do comentário a este post, forem seguidoras do blog e da página Facebook.

Este passatempo terá a duração de uma semana, ou seja, entre hoje, dia 24 e quarta-feira dia 1 de Maio, poderão participar! – O resultado será anunciado aqui!

 UM GRANDE BEIJINHO E BOA SORTE,

MARIA

In English

Yesterday was the International Book Day and to celebrate this date with a bit of style, I’m doing a giveaway that I called “Casa Feliz” (Happy Home). As some of you know, I wrote a book about interior design, entitled “Casa Feliz” (Happy Home). The book was supposed to be a practical guide of decoration, but since it doesn’t have any photos, and also because I write as I talk (which is a lot), the book, as my mum said on the day she read it, seems more of an autobiography of an interior designer than a “do it yourself book”.
In this small book of 273 pages, I tried to pass all my experience and knowledge collected through all of my life…

Since those early years when I used to decorate my dolls’ houses. Passing to the plans I had for the clubhouses with my friends, or when I used to do projects for my future house. Usually it was a giant house, where I would live with one of my friends. We planned multipurpose spaces for the many kids we imagined we would have some day, but always in a scenario where there would be no husbands. It was like playing  “mum and dad” just with mums… We were 10.. I think it’s understandable!

Through my teenage years, my interest continued evident on the many alterations I made on my bedroom. Then, as a “Young adult”, in my 20’s, I planned the renovation for my first house. A small apartment in need of a lot of rebuilding, that I literally transformed into a doll’s house. In this stage of my life I had stopped studying at IADE (a school of design here in Lisbon) to become a flight attendant. One day, my aunt Nucha came to visit me at my place and told me that I had found my calling. I was 20 years old and had done a beautiful job of rebuilding and remodeling… I was, for sure, going to do that for the rest of my life.  This was all I needed to hear to leave the aircrafts and start looking for interior design courses in London.

After two years, I was studying at KLC School of Interior Design. The best choice of my academic life. Back in Portugal, there was only one person I wanted to work for… I didn’t have any “CUNHAS” but I had a gorgeous portfolio, and of course, a good self-esteem, which helps a lot. I presented myself, personally, to the office of Graça Viterbo and on the next day I was already starting my internship.

With a good course and a better internship, shortly after, I begin to work by myself. Always with a lot of love for these things of creating houses and making nests.

I found  an occupation that I rarely get to feel it as my “job”. I do what I love since my 23 years… and since then, I never stopped working. Not even when I had my kids… I worked until my last day of pregnancy and I never had the official “maternity leave”. My kids grew up between conversations about decorating, inspiring books and suppliers’ visits. I had my office at home until very recently and the people who gravitated around my world became a part of their world as well. The upholsterer, the carpenter, the wallpaper guy, the painter, the builder… are practically part of my family. My kids know all their names. They even know some of my clients and have great chances of distinguish a “capitoné” from a “boutonniere”.

This was all to tell you why my first book had to be called “Casa Feliz” (Happy Home). I came into this world for pure pleasure and true calling. For me, interior design is, without a doubt, part of a very happy process. I never thought that this “job” could be a way to gain (or not) a lot of Money… or to have (or not) notoriety. On the contrary… I got here because I let the Universe do its role and I heard the signs… After all these years, I’m still a terrible seller, mas a truly happy decorator. My essence hasn’t changed at all.. I can’t do something that I don’t like and still get sad whenever a client asks me to do a “beige house” J Strange as it may seem… it still happens!

Well, let’s get to it!

#2 GIVEAWAY – CASA FELIZ

To qualify to win a book “Casa Feliz”, with a personalized dedication for yourself or someone else you would like to offer, you only have to:

1.     Follow my blog in “Follow” (at the bottom of the screen, on the right corner). If you want, you can also follow on “Keep in Touch”, but this is not mandatory.

2.     Follow my page MARIA BARROS HOME on Facebook

3.     Leave a comment on this post where you’ll have to answer the question “Do you live in a happy home?” (You may simply answer YES or NO. Or, if you have the time, you can leave some kind of explanation) – Please, don’t forget to include you First and Last Name.

You will only be qualified for the draw if you leave the comment here and also be a follower of the blog and the Facebook page.

This giveaway will last a week, between today, the 24th of April and the 1st of May. The result will be announced here!

Big Kiss and Good Luck!