Palm Beach Revival – A Festa das Mesas

October 27, 2014 in MY DESIGNS, MY WORLD OF INTERIORS

A Festa das Mesas

E pronto, cá estou eu para vos contar tudo (o pouco que ainda não sabem…) sobre a minha mesa em Palm Beach e a memorável Festa das Mesas. Quando escrevo “memorável”, não é só para lhe acrescentar um adjetivo pomposo. Chamei-lhe memorável porque o foi, efetivamente, para mim. Foi um evento em tudo especial… Muitas vezes neste tipo de eventos, em que fazemos exposições e mostras ao público, nos dias de inauguração, passam tantas pessoas por nós, queremos conversar um pouco com todas, queremos estar com todos e em todo o lado e muitas vezes acabamos por não conseguir usufruir do momento. Nem do momento nem das decorações que fazemos. Não vivemos os nossos projetos. É tudo muito etero, muito superficial, muito a correr…

Na festa das mesas aconteceu exatamente o contrário… preparámos o cenário de um jantar onde todos fomos protagonistas. Apesar de, na verdade, gostar de lá ter tido o triplo dos amigos, porque não é nada fácil escolhermos apenas 10 pessoas para um jantar, acabei por convidar apenas as amigas que eu sabia que iriam alinhar 100% na parodia de vestir com rigor o feel retro da decoração. As minhas 9 amigas (algumas delas também minhas clientes) vestidas, penteadas e maquilhadas a preceito, foram a extensão perfeita e o adereço imprescindível ao projeto da minha mesa que tentou recrear um ambiente vivido num jardim de Palm Beach nos anos 60, com cores Lilly Pulitzer, folhas de palmeira e cadeiras pavão. Foram elas, os nossos brindes, as risadas, as confissões e inconfidências que trocámos que tornaram a minha Festa das Mesas realmente especial e memorável. Porque a decoração influencia o nosso estado de espirito e, no limite,  são as pessoas que dão vida à decoração, fechando o ciclo do projeto.

Posso dizer, com a maior honestidade, que este projeto que vêm aqui em fotos, triplicou em charme e alegria com as nossas conversas e gargalhadas! Foi uma festa em tudo inesquecível! – Só espero que para o ano haja mais!

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

_DSC0401

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

A Festa das Mesas Maria Barros

 

A festa das Mesas

Sem a preciosa colaboração da Vista Alegre a minha mesa não teria brilhado da mesma forma. Algumas de vocês não reconhecerão o serviço exatamente porque não se trata apenas de um serviço VA mas sim três… O prato marcador às riscas preto e branco a fazer um espelho com o guarda sol é do serviço SOL E SOMBRA, o prato principal encanastrado amarelo é do novíssimo serviço OLHAR O BRASIL e os pratos de entrada e sobremesas (cor-de-laranja e cor-de-rosa) eram do serviço COLOURS.

As plantas envasadas que deram o ar ultra tropical à minha mesa são da empresa de organização de eventos MARTINS ALVES.

Aquele bolo de sonho e os cupcakes que puseram na minha mesa tropical o selo de “Festa” são da autoria da Silvia Ferreira da  A FESTA DO BOLO. Descobri o trabalho da Sílvia através da minha querida Fátima Mesquita e desde o primeiro bolo que nos fez para a Primeira Comunhão da Clarinha [AQUI], que fiquei incondicional fã do seu trabalho.

O tecido cor-de-rosa pastilha elastica que forrou os coxins das Cadeiras Pavão e que fez o vivo do guarda sol é da Designers Guild e é distribuído para decoradores e lojas de decoração através da empresa PEDROSO & OSÓRIO.

Tudo o resto, tecidos, peças decorativas, mobiliário… fazem parte da nossa coleção MB Home.

A organização do evento esteve a cargo deste grande amigo de longa data que tem sido um dos únicos impulsionadores deste gênero de eventos que premeiam a decoração como uma arte no nosso país – CARLOS PISSARRA.

A Festa das Mesas Maria Barros

No dia 18, por ter sido um Jantar de Mulheres e porque estamos em Outubro, mês em que se celebra este movimento de sensibilização e luta contra o Cancro da Mama, juntei ao meu projeto a empresa de cosmética Estee Lauder, conhecida por ser a grande pioneira nesta causa. Fizemos questão de colocar, todas, um laço cor-de-rosa antes de jantar e falámos um pouco sobre esta causa que a Estee Lauder abraçou de forma tão nobre e ativa! – E as minhas leitoras?… Já fizeram o rastreio anual de prevenção?

Espero que o post tenha satisfeito a vossa curiosidade. Se vos sobrarem questões, não deixem de fazer um comentário. Vou fazer questão de responder a cada pergunta!

Ainda volto esta semana para partilhar fotos do evento e para vos contar mais detalhes sobre o nosso dress code e de como conseguimos o perfeito look 60´s!

beijinhos

Making-of “A Festa das Mesas”

October 24, 2014 in IN THE PRESS, MY DESIGNS, MY WORLD OF INTERIORS

A Festa das Mesas Maria Barros

Esta foto foi tirada no sábado passado, na Festa das Mesas… Eu, em modo anfitriã, pousando orgulhosamente ao lado do ambiente que criei (uma mesa em Palm Beach). Estava já tudo a postos para a chegada das minhas convidadas. Nada fora do seu lugar, velas acesas e muita vontade de passar um super serão na melhor companhia.

Vestidinha, maquilhada e com 3 kilos de laca no cabelo… estava praticamente irreconhecível comparada com a versão de mim que vão ver, se tiverem 5 minutos, nesta reportagem que passou no programa Você na TV. – A equipa de filmagens da TVI apanhou-nos, literalmente, com a mão na massa, 24 horas antes da grande festa. A reportagem ilustra, de uma forma fiel e poucas vezes documentada, o ambiente que se vive durante o making-of deste gênero de eventos. Caras desmaquilhadas e cabelos no ar… muita azafama de entra e sai, sobe e desce, tira e põe. A mim, vão ver-me sentada no chão a fazer arranjos de flores… típico meu. Faço tudo sentada no chão…

Em tantos eventos deste gênero que já participei nunca tinha visto uma reportagem desta perspetiva. E achei particular graça terem  terminado com fotos dos autores ao lado das suas mesas já terminadas, sublinhando ainda mais, o contraste do “antes e depois”.

Nós por cá, podemos não estar em Palm Beach, mas que a coisa está boa para o nosso lado, está! Aproveitem bem porque isto não é “Verão de São Martinho”… Isto é São Martinho ON FIRE!

beijinhos

So long Oscar!

October 23, 2014 in BRIGHT MINDS

Oscar de la RentaConsiderava-o o epiteto do chic! Tinha tudo o que gosto… Era muito requintado mas todas as suas criações transportavam a descontração dos trópicos que o viram nascer. Tudo o que fazia tinha o calor e a raça das Caraíbas. Era o mestre da cor e da luz! Era designer de moda mas poderia bem ter sido designer de interiores. Tinha as casas mais bonitas e requintadas que possam imaginar…

Há 20 anos, era eu ainda uma rapariga bem jovem, estive num hotel decorado por ele. Chamava-se Casa de Campo. O hotel ainda existe mas com uma nova (muito menos charmosa) decoração. Nessa altura encantou-me a forma como incluia os búzios e os corais na decoração. Lá estavam os Garden Stools (tamboretes de porcelana) e a chinoiserie na versão casa de praia. Nunca me esqueci. E às vezes, dou por mim a ter os meus  “momentos Oscar de la Renta”… em que acho que nenhuma decoração pode estar terminada sem um búzio em cima de um livro, um coral perto de uma moldura de casquinha ou um tamborete de porcelana perto de um sofá.

Obrigada Oscar de la Renta, por tanto que nos ensinas-te!

beijinhos

Oscar de la Renta home

Oscar de la Renta quote

In English

I considered him the epithet of chic! He had everything I like … His creations were very exquisite but everything he did carried the relaxation of the tropics where he was born. Everything that had his signature had that Caribbean stamp on it . He was the master of color and light! He was a fashion designer but could well have been an interior designer . He had the most beautiful and exquisite homes you can possible imagine …

20 years ago , I was still a very young girl , I was in a hotel decorated by him . It was called Casa de Campo. The hotel still exists but with a new ( much less charming ) decoration . At that time I was charmed by the way he included shells and corals in all is decorations. There were also the Garden Stools  and the chinoiserie in the beach house version . I have never forgotten . And sometimes , I find myself having my “Oscar de la Renta moments” … I think that no decoration can be completed without a shell on top of a stack of books, a coral next to a silver photo frame or a porcelain stool near a sofa.

Thanks Oscar de la Renta , for all the great things you taught us!

A memorável Festa das Mesas!

October 22, 2014 in MY DESIGNS, MY WORLD OF INTERIORS

Maria Barros Interior Design

Na semana passada contei-vos sem desvendar o véu, que se aproximava um evento de decoração e Life Style para o qual a minha atenção estava 100% virada.  A festa aconteceu este sábado, dia 18, no Hotel Palácio do Estoril. A organização [A Festa das Mesas] reuniu um grupo fantástico de decoradores e convidou-os a projetar, cada um à sua maneira, uma mesa que receberia 9 dos seus pessoais convidados. Não tivemos quaisquer restrições decorativas. O tema era livre! – Só tínhamos mesmo de surpreender e trabalhar o melhor que sabemos para criar ambientes memoráveis.

Logo que recebi o convite e porque considero o Hotel Palácio um dos espaços públicos mais “chic vintage” que temos no Estoril, apeteceu-me homenagear o Hotel e o seu original e genial decorador Lucien Donnat (1920-2013), criando um ambiente anos 60. Esta minha “Mesa em Palm Beach” poderia também ser a imagem de um jardim na Linha do Estoril nessa gloriosa época. Na verdade quis recrear um ambiente Resort e Colonial, com cores garridas e alegres (que eu não gosto nada… uma chatice portanto) e detalhes costeiros. Inspirei-me não só no Hotel Palácio e na sua arquitetura retro, mas principalmente nos tempos em que vivi na Florida, nas recorrentes viagens que tenho feito durante os ultimos anos a Miami e Palm Beach. Inspirei-me na coolness das Bahamas e na alegria e descontração das criações da maravilhosa Lilly Pulitzer de quem sou absolutamente fã.

Tudo misturado com a alegria e o rigor descontraído que gosto de pôr em cada projeto, deu nesta deliciosa explosão de cor. O ambiente perfeito para um jantar de amigas!

Hoje não tenho tempo para um post muito mais extenso, mas não quis deixar de passar por aqui para o, já habitual, Sneak Peek! – Prometo voltar para partilhar convosco todos os detalhes da minha mesa e desta festa memorável. Tenho dezenas de imagens lindas que a minha amiga Teresa Aires captou do pré-party, não só da mesa, como da “anfitriã” enquanto esperava pelas suas 9 amigas. Amigas que foram chegando à vez, cada uma mais gira que a outra. Tenho fotos maravilhosas de todo o serão e vou escolher algumas para publicar. Tenho a certeza que vão perceber porque me senti tão bem acompanhada. Foi um dia muito feliz!

beijinhos

Quem nunca pintou as unhas em público que atire a primeira pedra!

October 20, 2014 in JUST MY OPINION

woman-painting-neutral-nails

Isto de andar de avião tem mesmo o que se lhe diga. Há pessoas que têm medo da descolagem, outras têm medo das aproximações e aterragens. Outras entram em pânico com a turbulência… eu?… confesso que, medo mesmo, só dos passageiros…

A verdade é esta… há muita gente à solta com grandes desequilíbrios emocionais e psicológicos. Infelizmente não andam com um letreiro na testa a dizer… “Cuidado Sou Completamente Chalupa”.  Na verdade, parecem pessoas normais. Com roupas normais, cabelos normais, óculos de sol normais. O que não sabemos é que dentro daquela aparente normalidade moram almas muito perturbadas e que podem até ser ofensivas. Nunca sabemos quem são e por onde andam. Mas num avião, podem estar sentados ao nosso lado. Pois é minhas amigas… foi exatamente essa lotaria que me calhou na semana passada quando fui a Londres.

Embarquei e sentei-me ordeiramente no lugar 3D. A executiva da TAP estava cheia. Ao meu lado sentou-se um “rapaz da minha idade” que falava português com a passageira da frente e inglês, fluente e britânico, com a passageira do seu lado direito. Passageira essa que era americana de sotaque e asiática de aparência física.

O voo decorreu na maior normalidade. Li uma revista, tomei o pequeno almoço, voltei a ler outra revista. Não proferi uma palavra. Estive, invisível no meu canto, quase todo o voo. 

Como algumas de vocês até já sabem, porque seguem o meu INSTAGRAM [AQUI], fui a Londres naquele dia, numa ida e vinda relâmpago, para ir a uma gala de entrega de prémios dos International Property Awards. Eu sei que até tenho uma vida animada, mas não… galas em Londres, a meio da semana, não é o meu forte, garanto-vos. Até sou uma rapariga organizada mas a verdade é que só decidi no sábado anterior que iria à gala e entre os anos do meu filho Salvador, almoços, torneio de padel e uma segunda feira de muito trabalho, não tive tempo de arranjar as mãos antes de partir. Ainda por cima porque à hora que tenho o meu encontro semanal com a minha Lili ( a manicura mais cool de Cascais e arredores) estava já sentada no avião que me levou para Londres.

Bom, isto só para vos enquadrar na cena seguinte. Aquela que aconteceu exatamente depois de eu ler e comer e voltar a ler…

Vai dai lembrei-me que tinha as mãosinhas numa lastima e que tinha sido uma rapariga super prevenida porque no minuto antes de sair de casa, me tinha lembrado desse pequeno/grande pormenor (não há nada pior que ver uma senhora com as mãos por arranjar) e meti na carteira um verniz para o dano não ser tão grave.

E agora vocês vão-me dizer que é péssimo pintar as unhas em público. Eu sei!!! Garanto-vos que sei!!! – Mas quem nunca fez nada em público que não era suposto que me atire a primeira pedra.

Não palitei os dentes, não dei puns, não arrotei, não espremi borbulhas, não tirei pelos à pinça, não me descalcei depois de correr uma maratona… o que eu fiz, mesmo e só, foi pintar as unhas de uma mão da forma mais discreta que pensei conseguir.

Pintei portanto a mão esquerda primeiro, que é sempre a mais fácil, porque o fazemos com a direita. Superei a primeira prova com mérito de excelência. Estava orgulhosa do meu trabalho. Superei a pressão da trepidação típica do avião. Tinha escolhido uma boa cor de verniz, mesmo na pressa da manhã, e as minhas mãos começavam novamente a parecer as mãos de uma senhora perdendo os traços de “mãos de lavadeira” (que é o aspeto que têm na 3a de manhã, antes de dar entrada nas instalações onde trabalha a Lili).

Fechei o frasco de verniz para a pausa em que iria esperar que a minha primeira mão secasse para depois passar à outra mão. Só me faltavam 5 unhas. Sou das pessoas mais rápidas a executar qualquer tipo de tarefa que vos possa passar pela cabeça. Estamos portanto aqui a falar de mais um minuto pendente de trabalho que foi o tempo que me demorou a pintar a primeira fornada.

As unhas secaram e eu preparava-me para voltar a abrir o frasco de verniz, quando a mulher asiática/americana (já vão perceber porque nunca me vou referir a ela como “senhora”.. não era) do lugar 3F se estica pela frente do passageiro do 3E, com quem vinha a falar animada e interruptamente toda a viajem e com quem já mantinha alguma intimidade, toca-me no braço e diz.. “Please stop painting your nails. I don’t like the smell.” … Dito isto, volta à conversa animada e eu, incrivelmente bem comportada e obediente, fecho o frasco e devolvo-o aos confins da minha carteira.

O que me tinha acabado de acontecer tinha sido, no mínimo, bizarro. A mulher oriental não suportou a ideia de ter de me ver pintar unhas por mais um minuto. Ou não suportou a ideia de cheirar o meu verniz por mais um minuto.

A mulher oriental tinha sido inconveniente e tinha mostrado sinais de algum tipo de perturbação mental e mesmo assim eu tinha consentido com aquele comportamento, “embrulhando a viola no saco” ao arrumar o verniz.

E assim fiquei. Presa nos meus pensamentos de incredulidade, com 5 unhas pintadas e 5 unhas por pintar.

Passados 10 minutos e já numa altura em que o avião mostrava sinais de começar a descer, a mulher oriental levantou-se (pela 3a vez) para ir à casa de banho.

Eu, tive dois segundos para voltar a olhar para as 5 unhas por pintar e tomar uma decisão. Voltei a pegar no verniz rapidamente e vai de terminar o serviço. Já sem brio nem devoção à arte. Eu só queria rapidamente terminar o que tinha começado enquanto a mulher desagradada não estivesse por perto.

Estava a dar a ultima pincelada quando a mulher se aproxima. Tinha chegado 3 segundos antes do fim da empreitada e testemunhou o grande crime. Eu, a criminosa, tinha voltado a sacar da arma mortífera. Era quase caso de policia!  - E vai dai ela recomeça… “I can’t belive you painted your nails again?!?!… I asked you to stop, how could you do it again???!!!” – Ela estava abismada, incrédula, ofendida, furiosa, despeitada… tudo o que possam imaginar!!! Eu tinha voltado a pintar as unhas depois das expressas ordens em contrário.

E eu, que nem lhe devia ter respondido porque devia ter percebido automaticamente que se tratava de uma chalupa encartada com ar de chinesinha porreira e gira, ainda lhe disse qualquer coisa como … “Penso que fui bastante cordial por ter parado de pintar as unhas na altura que me pediu. A verdade é que tinha 5 unhas por pintar, estávamos quase a aterrar e a senhora foi à casa de banho pelo que pensei que não a iria incomodar porque não estava aqui.”

Confesso que a esta altura eu já não devia estar com cara de “boas amigas”. Se já a tinha achado parva no primeiro contacto, quando me voltou a falar na treta do verniz achei-a, no mínimo, mal criada e abusadora.

Ela passou para o lugar dela e eu e o senhor bilingue que estava sentado entre nós retomamos a conversa que tínhamos começado quando ela foi à casa de banho. O senhor bilingue era um grisalho ultra simpático da minha idade e com 300 pessoas conhecidas em comum e um passado que se cruzou com o meu em vários pontos. Trocamos cartões e conversa até que a mulher asiática/americana, não contente com o segundo raspanete e mesmo bastante depois do frasco de verniz ter desaparecido do seu campo de visão, decide continuar…

“ You are such a barbarian!! – I can’t belive you did your nails again after I told you to stop” – Continuou… “You are discusting!” E não contente, foi prosseguindo … “why are you fixing your nails? You should be fixing your ugly face. Because you are so ugly….” – “Go fix you face” “You are so ugly. You are discusting! You are a barbarian!” – Para quem pensa que não está a perceber exatamente o que a mulher chinesa/americana disse… traduzo para terem a certeza : “Você é uma bárbara! Você é nojenta! Nunca vi ninguém tão nojento em toda a minha vida! Porque está a arranjar as suas mãos? Vá mas é arranjar essa sua cara feia! Você é horrível. Sua feia! Nojenta!”

 Ah pois é… isto aconteceu! Parece mentira. Parece que é para os apanhados… Eu própria esperei que de traz da cortina saísse toda uma equipa de televisão, com camera man e produtores e som e tudo… “Cais-te Maria’! Foste muito bem apanhada!!! Ganda susto hein?! Que grande risada… “

Mas em vez disso, a mulher voltou a dizer tudo outra vez. Até que eu percebi que quem tinha de parar aquilo era eu. – Não a chamei de feia, nem nojenta, nem a mandei fazer nenhuma operação plástica…

Mandei-a calar-se!  Olhei para ela, disse-lhe que era mal educada e mandei-a calar-se. Como se tivesse a dar uma ordem a um cão desgovernado. Fiz como vi fazer nos programas do Domador de Cães. Fui Calm and Assertive! “Shut up!! Shut up right now!” – e aquele animal enfurecido calou-se ao som da “pac líder”. 

Para pasmo dos restantes passageiros e da chefe de cabine que se preparava praticamente para intervir, aquele animal desgovernado sessou. O avião aterrou e o incidente ficou por ali.

Depois fiquei a saber que a poderia ter reportado como “unlurry passanger” e que muito provavelmente e porque o destino era Londres, ela poderia ter sido detida à chegada pela policia. Muito provavelmente aprenderia a sua lição de humildade da pior maneira.

Mas passada a minha inicial perplexidade e indignação, restou-me sentir muita pena daquela mulher. Era, obviamente uma pessoa perturbada. Mal amada. Se não por quem está à sua volta, sem dúvida mal amada por ela própria. Imaginei quantas vezes, em criança, ela não terá ouvido dizer que era feia. Quantas vezes não se terá achado feia. Quantas vezes não terá sentido nojo dela própria. Naquele momento eu não fui mais que o espelho da imagem que projeta dela própria. Quanta infelicidade camuflada pela película da agressividade…. 

Depois ainda divaguei sobre o que me teria feito guardar o verniz da primeira vez. Porque não lhe teria logo pedido para ser um pouco mais paciente. Não demoraria mais que um minuto… Ao guardar o verniz, dei-lhe razão. Consenti no seu devaneio de prepotência. E ela achou que, a partir dali, podia tudo. Até chamar-me feia e nojenta  vezes sem conta.

 Aprendi uma lição. Não volto a guardar o verniz na carteira! Não gosta, temos pena. Muita pena…

beijinhos

Um casamento de sonho

October 15, 2014 in FAMILY BUSINESS, IN THE PRESS

Foto de familia Casamento Ricardo e Susana

Na altura em que publiquei alguns INSTA-MOMENTS sobre o casamento da Susana e do Ricardo [AQUI], houve algumas leitoras que me pediram para partilhar a decoração das mesas… Na altura pensei que talvez não o devesse fazer por ter sido uma cerimonia muito privada mas entretanto os noivos surpreenderam-nos com a partilha da festa na revista Caras (uma reportagem linda por sinal… de onde herdei esta foto de família que amei) – Assim sendo achei que podia (e devia) partilhar convosco estas imagens de sonho. De um jantar de amigos, preparado bem à portuguesa, onde foi servida uma sopa de abóbora (servida em taças Bordalo Pinheiro) seguida de, imaginem, cozido à Portuguesa. O prato preferido do meu irmão… Insólito mas muito saboroso!

A mesa que tinha sido planeada para estar “Al Fresco” num jardim de sonho, acabou confinada a uma pequena sala (como podem ver nas fotos) porque choveu o dia todo, sem misericórdia…

A organização do evento esteve a cargo do nosso amigo de longa data Carlos Pissarra que tem sido responsável por muitas festas memoráveis… Mas para mim, esta foi especial!

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Casamento Ricardo & Susana

Para verem mais festas e jantares organizados pela CP, sigam o link. Tenho a certeza que vão gostar!

Carlos Pissarra

A prova que, verdadeiramente,  adorei a foto do fotografo Alfredo Rocha… já está emoldurada na nossa sala como podem constatar pela polaroid! – Obrigada revista Caras! Nota 10!

Foto de familia beijinhos

Inspiration – Cool and Memorable Brides

October 14, 2014 in FASHIONABLE

Afinal ainda não consegui encerrar o assunto “noivas”…

Como perceberam, pelo editorial da Brides, nem sempre é preciso ir a uma loja tradicional de vestidos de noiva comprar um vestido clássico e caríssimo… Principalmente nos casos em que o casamento não é na igreja (e mesmo na igreja, porque não?!) é tão cool ver uma noiva com um vestido improvável, descontraído e memorável..

Deixo-vos com 3 sugestões de “noivas memoráveis”- Todos os looks possíveis de conseguir à distancia de uma simples compra na internet! Não consigo pensar em nada mais prático… Espero que gostem!

Inspiração Noivas

1. Brincos Lulu Froster/ 2. Vestido Milly no site da NeimanMarcus /3. Anel diamante /4. Sandálias Stuart Weitzman

Inspiração Noivas

1. Brincos Isharya / 2.Vestido DVF / 3. Anel Ippolita /4. Sandálias Olivia Palermo para Aquazzura

Inspiração Noivas

1. Brincos Isharya / 2. Vestido Temperley London no site Net-a-Porter / 3. Pulseira Lulu Frost /4. Sandálias Stuart Weitzman

beijinhos

Olivia, the most gorgeous bride…

October 13, 2014 in FASHIONABLE

Olivia Palermo Brides

E só para fecharmos a “nossa conversa” sobre noivas não puder deixar de partilhar convosco este editorial de moda publicado pela Revista Brides na sua edição de Junho.

Antes de se casar com o modelo alemão Johannes Huebl, Olivia Palermo aceitou o convite da publicação norte americana para vestir a pele de uma noiva de sonho. Vão, quase de certeza, concordar comigo que, melhor, só mesmo a versão original dela no dia do seu verdadeiro casamento com o seu Kit maravilhoso desenhado pela clássica Carolina Herrera. Uma camisola de cashmere pérola e uma saia de tule aberta à frente sobre uns shorts brancos… A noiva mais cool do ano, sem dúvida!

Fiquem então com as fotos da produção e com estas “nove noivas de sonho”. Espero que gostem…

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Olivia Palermo Brides

Não existem muitas fotos do casamento mas estas duas são suficientes para percebermos como estavam os dois realmente L-I-N-D-O-S…

Iconic brides

Olivia Palermo

BEIJINHOS,

MARIA

A Festa das Mesas

October 10, 2014 in MY WORLD OF INTERIORS

A Festa das Mesas

Festa das Mesas Festa das Mesas

Esta semana, entre outras coisas, vou andar ocupada com os preparativos para a Festa das Mesas que será já no próximo sábado, dia 18, no Hotel Palácio do Estoril.

A organização [Estoril for Press] convidou 12 decoradores para este evento. À semelhança de eventos parecidos que acontecem com frequencia em Espanha e Estados Unidos, cada decorador fica responsável pela decoração de uma mesa. Cada mesa senta 10 pessoas (numero máximo de pessoas que podemos convidar). Para além disso e dos metros quadrados que a circundam, temos todos muito poucas limitações. Ou seja, cada um fará com a sua mesa o que bem lhe apetecer, seguindo um projeto e uma inspiração que, até agora, está no segredo dos deuses. Confesso que estou já super curiosa para ver que caminho escolheram os restantes 11 designers envolvidos no projeto… Acho que esta festa promete!

Fica já aqui prometido que farei um post detalhado, não só com a minha mesa (que espero fique linda!) mas também com as mesas que mais chamarem a minha atenção! Até lá, toca a trabalhar que ainda há muita coisa para fazer…

A Festa das Mesas

 

BEIJINHOS,

MARIA

Uma noiva no Paraíso

October 10, 2014 in BRIGHT MINDS, FASHIONABLE

Acho sempre que temos uma tendência para olhar para fora e dar menos valor ao que se passa à nossa volta, no nosso pais… De qualquer forma lembro-me que parei, literalmente, quando vi a Ana Rita Clara na capa da revista Caras, vestida de noiva, com aquela grinalda de flores maravilhosa e com aquele ar que só se tem quando se está no paraíso. Casar em Formentera por si, deve ser um sonho. Com este vestido, com este ar descontraído… isso sim, é memorável. A nossa noiva icónica, passou por aqui e deixou-nos (deixou-vos) a memória daquele dia e de como se sentiu… intensamente feliz e completa! Adorei! Obrigada Ana Rita…

Ana Rita Clara

BEIJINHOS,

MARIA

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: